Empresário espanhol entre os principais suspeitos por desastre no Bangladesh

Quatro dias depois do colapso do edifício onde funcionavam várias fábricas têxteis a esperança de que ainda haja sobreviventes é diminuta.

Foto
Colapso do imóvel fez pelo menos 350 mortos REUTERS/Andrew Biraj

Um empresário espanhol, co-proprietário de uma das confecções do prédio que ruiu esta semana nos subúrbios de Dacca, a capital do Bangladesh, está entre os principais suspeitos na investigação sobre a catástrofe, anunciou neste domingo a polícia.

David Mayor é director-geral da Phantom-Tac, uma sociedade que junta a Phantom Apparels, do Bangladesh, e a espanhola Textile Audit Company, que ocupava mais de 2 mil metros quadrados do edifício que colapsou, que tinha vários pisos acrescentados, numa obra ilegal. 

Mayor e os proprietários de outras quatro empresas estão a ser investigados pelos crimes de homicídio por negligência, um crime punível com uma pena até cinco anos de prisão, adiantou à AFP um responsável da polícia.

Sobreviventes desastre, que segundo o último balanço fez pelo menos 376 mortos e 1200 feridos, contaram que foram obrigados a trabalhar na quarta-feira, apesar dos avisos de que a estrutura do edifício estava em perigo. 

Um sócio do empresário espanhol, Aminul Islam, presidente da Phantom-Tac, tinha sido detido no sábado com outros dois proprietários de confecções que funcionavam no edifício que ruiu.
<_o3a_p>

Sugerir correcção