Seguro, Rubalcaba e Désir contra austeridade compulsiva da Europa conservadora

Rigor orçamental com políticas de crescimento. O desafio dos socialistas europeus foi expresso em Lisboa.

PS espanhol, português e francês reunidos esta sexta-feira na sede dos socialistas em Lisboa
Foto
PS espanhol, português e francês reunidos esta sexta-feira na sede dos socialistas em Lisboa Rui Gaudêncio

Reunidos em Lisboa esta sexta-feira, os líderes do PS português, espanhol e francês criticaram duramente as políticas de direita que estão a dividir a Europa e a assassinar o projecto europeu. Defendem uma aliança de rigor orçamental com uma agenda de crescimento económico e criação de emprego.

António José Seguro, secretário-geral do PS, Alfredo Perez Rubalcaba, secretário-geral do PSOE, e Harlem Désir, primeiro-secretário do PS francês estiveram reunidos no Largo do Rato, em Lisboa, para criticarem “uma política de ajustes e de austeridade compulsiva” que impede o crescimento económico e a criação de emprego na Europa.

Juntos, os socialistas firmaram “um compromisso” capaz de devolver ao projecto europeu uma política económica. Seguro insistiu na ideia de que “a Europa é um projecto de união, não é um projecto de confronto dos egoísmos dos Estados” e que aquilo a que se assiste actualmente é “uma violação” do projecto solidário que fundou a Europa.

"Hoje há uma ditadura da política de austeridade", afirmou o líder do PS português.

O socialista espanhol pós também a tónica no desemprego, que em Espanha já passou a barreira dos seis milhões, e disse que a "política de direita" está a criar uma tensão forte entre o Norte e o Sul da Europa. Já o francês Harlem Désir mostrou-se convicto de que a União Europeia possa ser uma “grande potência” se retomar o seu projecto fundador de “criação de riqueza, justiça social e solidariedade”.