Lucros da Apple descem pela primeira vez numa década

Vendas acima do esperado em iPads e iPhones contêm a derrapagem. Empresa promete remuneração extraordinária para sossegar accionistas.

Foto

Pela primeira vez na última década, o fabricante de computadores e smartphones Apple viu os lucros caírem de um trimestre para o outro. Entre Janeiro e Março, a empresa sediada em Cupertino, Califórnia, obteve lucros de 9500 milhões de dólares (7300 milhões de euros), menos 18,1% do que os 11.600 milhões de dólares (8850 milhões de euros) do trimestre anterior. Mesmo assim, o dividendo a distribuir pelos accionistas vai ser aumentado.

O presidente executivo da empresa reagiu à divulgação dos resultados com uma mensagem destinada a acalmar os accionistas. Pressionado pela desvalorização das acções, que caíram 40% desde Setembro do ano passado, Tim Cook disponibilizou mais 55 mil milhões de dólares para um plano de recompra de acções e distribuição de dividenos, fazendo assim subir para os 100 mil milhões o montante destinado a accionistas até 2015.

As acções da Apple atingiram o pico de valor há sete meses, quando tocaram nos 700 dólares. Actualmente valem 406 dólares, tendo até baixado dos 400 dólares dias antes da publicação do desempenho no primeiro trimestre de 2013.

Os resultados agora divulgados significam que o crescimento da Apple – cujo fundador, Steve Jobs, morreu  há 18 meses –, desacelerou pela primeira vez em dez anos. Mas são melhores do que o esperado, devido a receitas de venda acima das excpectativas com iPhone e iPad, refere a BBC.

A remuneração dos accionistas da Apple vai atingir níveis apenas comparáveis à petrolífera ExxonMobil, dentro da economia norte-americana. Isso traduz uma outra mudança, em termos de filosofia empresarial, salienta o Financial Times. Porque o actual líder da Apple aplica o contrário do que defendia Steve Jobs, que apostava em conservar o capital.

A divulgação dos resultados veio acompanhada de outro aviso: a empresa espera, até Junho, uma nova descida nos lucros.