“Ponte do povo” de Forjães já foi removida

Travessia construída ilegalmente em Março por população de freguesia de Esposende visava substituir a ponte do Fulão, que esteve em obras até sábado, dia em que reabriu ao trânsito.

A ponte que se vê ao fundo está pronta, a travessia improvisada deixou de ser necessária
Foto
A ponte que se vê ao fundo está pronta, a travessia improvisada deixou de ser necessária Fernando Veludo/NFactos/Arquivo

A ponte construída clandestina e ilegalmente pelo povo de Forjães, Esposende, num terreno particular foi removida esta segunda-feira, dois dias depois da abertura ao trânsito da travessia ali existente, que esteve fechada para obras, disse fonte da Junta de Freguesia.

Construída em madeira, a “ponte do povo” foi implantada em inícios de Março, sobre uma ribeira, sem qualquer licença ou autorização, para servir de passagem pedonal, enquanto decorressem as obras da ponte do Fulão. No entanto, passou imediatamente a ser aproveitada também para a passagem do trânsito automóvel, que assim evitava dar uma volta de alguns quilómetros ou utilizar um caminho alternativo em terra batida.

A ponte estava em domínio marítimo e, como tal, para a sua implantação era necessária autorização da Administração da Rede Hidrográfica do Norte (ARHN), que não fora pedida, pelo que a GNR interveio e a improvisada travessia foi fechada.

Em meados de Março, a ARHN acabou por autorizar a utilização da ponte para passagem de peões.
No sábado, a ponte do Fulão reabriu ao trânsito e esta segunda-feira foi removida a sua polémica “substituta”.