Segundo suspeito dos atentados de Boston detido pela polícia

Jovem de 19 anos foi capturado e está hospitalizado em estado grave.

Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Captura de ecrã que mostra Dzhokhar Tsarnaev no barco onde estava escondido AFP PHOTO / CBS NEWS
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria

Eram 20h45 (1h45 em Portugal) quando as autoridades policiais anunciaram ter capturado o segundo suspeito dos atentados de Boston, Dzhokhar Tsarnaev, de 19 anos, que se encontrava escondido num barco com atrelado no quintal de uma casa em Watertown, um subúrbio de Boston onde a polícia montou cerco durante todo o dia de sexta-feira.

"O suspeito está sob custódia. Os agentes estão a varrer a área. Aguardem mais informação", lia-se na conta @Boston_Police às 1h45 (hora em Lisboa).

Cinco minutos depois, o mayor de Boston, Tom Menino, confirmava a informação com uma frase que ficou célebre após a captura de Saddam Hussein: "We got him" (Apanhámo-lo).


Dzhokhar Tsarnaev foi detido vivo, mas segundo a NBC tinha ferimentos de pelo menos uma bala e foi levado para o Hospital Mount Auburn em Cambridge. Segundo a Reuters, citando fonte policial, o suspeito estava a sangrar e em estado grave, o que foi confirmado pelo comissário da polícia de Boston, Ed Davis.

Assim que a captura foi anunciada, residentes de Watertown saíram para rua e saudaram a detenção com aplausos.

O Departamento de Polícia de Boston escreveu depois na sua conta no Twitter: “CAPTURADO!!! A caça acabou. A busca foi concluída. O terror chegou ao fim. E a justiça venceu. Suspeito sob custódia”.

A detenção aconteceu quase três horas depois de uma conferência de imprensa em que as autoridades policiais anunciaram que não tinham conseguido encontrar o suspeito e admitiram não saber onde se encontrava.

O aviso que fora dado durante a madrugada aos residentes da área de Boston para se manterem em casa com as portas trancadas foi levantado às 18h (23h em Portugal) e os habitantes de Watertown começavam a sair à rua quando, menos de uma hora depois, uma rajada de tiros foi ouvida junto da área que a polícia tinha bloqueado durante todo o dia. As televisões, que faziam os seus directos a partir da zona, notaram um súbito aumento de actividade policial.

Dzhokhar Tsarnaev estava escondido num barco de recreio, arrumado em cima de um atrelado nas traseiras de uma casa, explicou o comissário da polícia de Boston, Edward Davis, numa conferência de imprensa sexta-feira à noite.

“Um homem tinha saído de sua casa depois de ter estado fechado lá dentro o dia inteiro, obedecendo ao nosso pedido”, disse Davis. “Ele saiu para a rua e viu sangue no barco que estava nas traseiras.  Depois abriu a coberta do barco, espreitou e viu um homem coberto de sangue. Saiu do local e avisou-nos.”

“Ao longo da hora seguinte trocamos tiros com o suspeito, que estava dentro do barco e que ainda estava vivo”, continuou Davis, sublinhando de Dzhokhar Tsarnaev se encontrava em “estado crítico” e que, aparentemente, tinha sido ferido no tiroteio que deixou o seu irmão morto.

Segundo o relato do Washington Post, um helicóptero equipado com tecnologia de raios infravermelhos tentou captar movimentos no interior do barco. Agentes da polícia tentaram negociar a sua rendição mas não obtiverem qualquer resposta.

Perante o silêncio e o imobilismo do suspeito, foi utilizado um robot para remover a capa que cobria o barco e uma equipa de forças especiais retirou Dzhokhar Tsarnaev do local. Estava gravemente ferido numa perna e no pescoço.

O outro suspeito, Tamerlan Tsarnaev, de 26 anos, irmão de Dzhokhar, foi morto pela polícia na madrugada de sexta-feira, durante uma perseguição que terminou em Watertown. O mais novo dos irmãos conseguiu escapar e a polícia acreditava que ele se encontrava na zona, o que veio a confirmar-se. Durante a fuga, os dois suspeitos mataram um guarda de segurança do campus do M.I.T., uma das reputadas universidades na área de Boston, e balearam um polícia do sistema de transportes públicos da cidade.

A captura de Dzhokhar Tsarnaev pôs fim a um dia tenso, em que Boston se viu sitiada por uma autêntica caça ao homem que mobilizou centenas de agentes policiais, incluindo FBI e equipas SWAT (forças especiais, chamadas a intervir em operações de alto risco). “Estamos exaustos”, disse o chefe da polícia estadual de Massachusetts, Timothy Alben, numa conferência de imprensa sexta-feira à noite (madrugada de sábado em Portugal). “Mas conseguimos uma vitória esta noite.

O Presidente Obama elogiou as forças de segurança que capturaram Dzhokhar Tsarnaev, num comunicado da Casa Branca divulgado ainda na sexta-feira. “Fechamos um importante capítulo desta tragédia”.

O Presidente informou ter dado ordens às autoridades federais para continuaram e investigar o caso e pediu às pessoas para não se precipitarem a fazer julgamentos sobe as motivações dos dois irmãos que levaram ao atentado na maratona de Boston.


Notícia corrigida às 10h45 de 20 de Abril. Frase "We got him" estava erradamente atribuída à morte de Bin Laden quando ficou célebre na captura de Saddam Hussein.