Crescimento económico do Peru faz “inveja à Europa”, diz Cavaco

Presidente da República está em Lima para uma visita oficial de pouco mais de um dia.

Foto
Reuters

Os níveis de crescimento económico anual de 6,2%, como o que aconteceu no ano passado no Peru, “fazem inveja a todos os países da União Europeia”. As palavras são do Presidente da República que nesta quinta-feira começou a fazer uma visita oficial a Lima, no Peru.

“Venho acompanhado por 40 empresários portugueses que olham com grande interesse para a economia com o maior crescimento económico de toda a América latina”, começou por dizer Cavaco Silva numa declaração conjunta dos dois chefes de Estado no Palácio do Governo.

“Um crescimento económico que faz inveja a todos os países da União Europeia”, realçou o chefe de Estado português. “Sabemos que o Peru é uma economia pujante, com grandes potencialidades de desenvolvimento e que tem um vasto programa de infra-estruturas”, para o qual pode ser preciosa a “experiência dos empresários portugueses” e a possibilidade de estes transferirem para o Peru tecnologias que dominam”, afirmou o Presidente da República, pouco depois de os dois países terem assinado três acordos de cooperação.

Pouco antes, o Presidente Ollanta Humala Tasso elogiara as possibilidades de negócio no Peru, país que tem vindo a esforçar-se por ter uma “política de estabilidade e confiança económica, assim como de estabilidade fiscal e jurídica”. O crescimento anual na ordem dos seis por cento é o “resultado do esforço de um país que acabou de sair de épocas dura se difíceis”.

“O Peru é uma terra de oportunidades”, com matérias-primas abundantes, e cujo Governo “aposta hoje na indústria com mais-valias tecnológicas”, descreveu o Presidente peruano, desejando que o seu país possa servir de “plataforma de oportunidades para os investimentos portugueses em toda a América Latina”.

Três acordos de cooperação
Como agradecimento pelo apoio de Portugal na aprovação do acordo multipartes ente a União Europeia, a Colômbia e o Peru, Humala Tasso promete “dar passos concretos para incluir Portugal na lista de alta vigilância da indústria farmacêutica”.

Mas esta quinta-feira foi também tempo para firmar novos acordos de cooperação entre os dois Estados que contam já com 160 anos de relações diplomáticas oficiais depois da assinatura, em Março de 1853, do Convénio de Comércio e Livre Navegação.

Foi assinado um acordo inter-institucional em matéria de cooperação entre os ministérios da Saúde dos dois países, que poderá passar pelo intercâmbio de profissionais como médicos, enfermeiros e técnicos, à semelhança do que já acontece com a Colômbia. Os dois países subscreveram também um acordo de cooperação inter-institucional entre o Conselho Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação do Peru e a portuguesa Fundação para a Ciência e Tecnologia. Por último, assinou-se ainda um programa de cooperação entre os dois governos em matéria de língua e educação, de modo a promover os dois idiomas em actividades docentes e culturais.

A estreia na escolta a cavalo
O chefe de Estado português foi recebido pelo Presidente Humala Tasso a meio de quinta-feira, logo no início desta viagem oficial ao Peru, onde chegou pelas 14h15 locais (20h15 em Lisboa). Na declaração conjunta que ambos proferiram, Cavaco Silva salientou que é a primeira vez que um Presidente da República português realiza uma visita oficial ao Peru e que é igualmente o primeiro chefe de Estado que visita este país da América Latina depois da entrada em vigor do acordo multipartes assinado entre a Colômbia, o Peru e a União Europeia.

A visita de Cavaco Silva ao Palácio do Governo, em Lima, foi também um momento de estreia para Humala Tasso: pela primeira vez um chefe de Estado do Peru recebeu um convidado de honra com uma charanga a cavalo. Segundo fonte da Presidência, quando Humala Tasso esteve em Lisboa em Novembro, depois de depositar uma coroa de flores nos Jerónimos, seguiu até ao palácio de Belém escoltado pela guarda de honra a cavalo. E terá gostado tanto do cerimonial que resolveu então retribuir a pompa a Cavaco Silva.

Esta quinta-feira à tarde, parte da cidade de Lima viu desfilar pelas ruas a banda e a guarda presidencial em trajes de gala – de casaco branco, calça vermelha e capacete dourado resplandecente - montadas em mais de meia centena de cavalos. Na praça em frente ao Palácio do Governo, a residência oficial do Presidente da República peruano, amontoaram-se poucas centenas de pessoas para ver a cerimónia.