Estudo encomendado pelo Governo à Ernst & Young custou 210 mil euros

Equipa de 30 pessoas realizou trabalho de campo durante dois meses, no ano passado.

Foto
O estudo aponta críticas aos contratos de PPP Nelson Garrido

O estudo aos 36 contratos de Parcerias Público-Privadas (PPP) à Ernst & Young, encomendado pelo actual Governo, custou 210 mil euros, afirmou nesta quinta-feira José Gonzaga Rosa, partner da consultora que realizou o trabalho.

Na comissão parlamentar de inquérito às PPP, José Gonzaga Rosa disse que o estudo aos 36 contratos de parcerias rodoviárias, ferroviárias e da saúde custou 210 mil euros, adiantando que, depois de pagar o tradutor e um perito internacional para fazer as previsões de tráfego, os honorários para a consulta “foram cerca de metade dos 210 mil euros”.

Na declaração inicial, o porta-voz da consultora, que venceu o concurso público lançado pelo Governo para realizar o estudo às PPP, explicou que o estudo envolveu uma equipa média de 30 pessoas, que se orientou por “um extenso caderno de encargos”.

Segundo José Gonzaga Rosa, o estudo, que aponta várias críticas aos contratos, iniciou-se em Março de 2012 e a equipa teve “cerca de dois meses para executar o trabalho de campo até Maio” do ano passado.

Nessa altura, a E&Y emitiu 36 relatórios – um para cada PPP – que foram sujeitos a contraditório por parte de entidades e, um mês mais tarde, foram emitidos novos relatórios, “incorporando já o resultado do contraditório”.