Óculos da Google não vão ter publicidade

Os programadores que estão a desenhar aplicações para os novos óculos da Google foram avisados que não vão poder ter publicidade no ecrã do aparelho.

Os óculos têm um design futurista
Foto
Os óculos têm um design futurista Google

As especificações dos óculos da Google, que prometem revolucionar a utilização da Internet no dia-a-dia, estão a ser divulgadas aos poucos.

Os termos e condições para os programadores foram publicados recentemente e proíbem, entre outras restrições, que as aplicações tenham publicidade ou até que sejam pagas. Este pode ser um dos aspectos que deixe os programadores de pé atrás, uma vez que há alguns que não sabem como gerar receita com as aplicações do aparelho.

Os óculos vão estar equipados com uma câmara de cinco megapixéis e vão poder gravar vídeos em alta definição (720p).

Uma das novidades que mais se destaca é o facto de o utilizador não precisar de auscultadores para ouvir os sons produzidos pelos óculos: vão ser audíveis através de ondas de som difundidas pelos ossos da cara, que chegam, por sua vez, ao ouvido interno. Para comunicar com os óculos, basta dizer alguns comandos pré-programados que são reconhecíveis pelo aparelho.

A empresa norte-americana diz ainda que o ecrã vai ter qualidade equivalente a um ecrã de televisão de alta qualidade de 63 centímetros, quando visto a cerca de dois metros e meio de distância.

A bateria? A empresa promete que isso não vai ser problema, garantindo que vai durar “um dia inteiro de utilização normal”, embora isso fique restringido às características que exijam um maior consumo de energia, como as chamadas de vídeo.

Com capacidade de armazenamento de 16GB, vai ser possível ligar-se a outros dispositivos através de redes sem fios e de Bluetooth.

As primeiras remessas de óculos já começaram a ser enviadas para os programadores de aplicações e para os Glass Explorers, pessoas comuns que participaram num concurso sobre modos de utilizar os óculos.

Sugerir correcção