IKEA suspende venda de lasanha de alce por encontrar porco

Vendas foram suspensas em lojas de 18 países europeus depois de testes feitos pelas autoridades belgas.

Em Fevereiro, as almôndegas do IKEA foram o primeiro produto a ser retirado
Foto
Em Fevereiro, as almôndegas do IKEA foram o primeiro produto a ser retirado Reuters

O gigante sueco de venda de mobiliário IKEA disse, este sábado, ter suspendido as vendas de lasanha de alce por terem vestígios de carne de porco.

Foram produzidas cerca de dez mil toneladas de lasanha de alce que estão à venda por todas as lojas europeias. O IKEA decidiu assim suspender as vendas em 18 países da Europa depois de as autoridades belgas, no final do mês passado, terem concluído os testes feitos a amostras de um lote daquele produto.

"Recebemos a confirmação, na sexta-feira, que um lote [de lasanha] continha carne de porco picada em quantidade muito pequena, cerca de 1%", revelou Tina Kardum, porta-voz do IKEA, acrescentando que o lote contaminado totalizava pouco mais de 17 mil embalagens de lasanha.

"Por isso, estamos em diálogo com nosso fornecedor, que tomou medidas para garantir que isso não aconteça novamente", adiantou.

Em Fevereiro, o IKEA suspendeu as vendas de almôndegas  e de salsichas após testes mostrarem que continham vestígios de carne de cavalo. De recordar que, por toda a Europa e em diversas produtos confeccionados por empresas do ramo alimentar foram detectados vestígios de carne de cavalo picada, dando origem a um escândalo e reflectindo-se na pouca confiança que os consumidores passaram a ter, levando a União Europeia a aprovar um plano para despistar carne de cavalo dos alimentos.

Notícia corrigida às 20h30: carne de porco foi encontrada nas lasanhas de alce, e não de veado