Mais de 50 mortos em inundações na Argentina

Chove torrencialmente desde terça-feira e o número de vítimas das cheias poderá aumentar.

Fotogaleria
Ruas ficaram transformadas em autênticos rios Daniel Garcia/AFP
Fotogaleria
Idosos, mulheres e crianças foram retiradas de barco Daniel Garcia/AFP
Fotogaleria
Há carros a flutuar na água que inundiou as ruas da cidade Claudio Gonzalez/AFP
Fotogaleria
Cerca de 2500 pessoas tiveram de abandonar as suas casas em La Plata Enrique Marcarian/Reuters

Pelo menos 46 pessoas morreram na sequência de inundações que deixaram submersa parte da cidade de La Plata, a 60 quilómetros de Buenos Aires, na Argentina. Ao todo, no país, desde terça-feira, as inundações causaram pelo menos 54 mortos.

Durante a tarde desta quarta-feira, em menos de uma hora, o número de mortos em La Plata passou de 25 para 46 e ainda pode aumentar, segundo o governador da província de Buenos Aires, Daniel Scioli, citado pela AFP. Os corpos apareceram gradualmente à medida que o nível água começou a baixar, disse o responsável.

Já na madrugada de terça-feira, as inundações em Buenos Aires, tinham provocado oito mortos e afectado mais de 350 mil pessoas. Durante a noite, o temporal deslocou-se para o Sul, atingindo a cidade de La Plata, onde moram cerca de 900 mil pessoas. Mais de 2500 tiveram de abandonar as suas habitações e foram acolhidas em abrigos temporários.

A água subiu rapidamente, chegando aos dois metros de altura, e as pessoas tentaram refugiar-se nos telhados das casas e no cimo das árvores, mas algumas não conseguiram salvar-se, descrevem as autoridades. Havia carros a flutuar nas ruas e a cidade ficou completamente paralisada, com as escolas e serviços públicos encerrados.

Idosos, mulheres e crianças foram retirados por barco, depois de as ruas se terem transformado em autênticos rios.

Segundo os serviços meteorológicos, a quantidade de precipitação atingiu os 400 milímetros em duas horas na terça-feira à noite, um valor histórico para La Plata. A água acumulou-se nas partes baixas da cidade, situada a poucos quilómetros do Rio de la Plata, numa região pantanosa.

“O que aconteceu em La Plata é inédito. Metade da cidade está sem electricidade. Há pessoas nos telhados das casas, nas árvores, à espera que consigamos salvá-los”, disse o vice-ministro argentino da Segurança, Sergio Berni, citado pela AFP.