Trocar quatro pneus em dois segundos? A Red Bull consegue

A equipa de Sebastian Vettel e Mark Webber reclama o recorde para a pit stop mais rápida de sempre.

http://www.youtube.com/watch?v=hOB0RY4nA0E

Num Grande Prémio de Fórmula 1 há pormenores decisivos que vão além das velocidades estonteantes e das ultrapassagens arrojadas. Muitas vezes são os detalhes que fazem a diferença entre um lugar no pódio ou fora dele. E são esses detalhes que costumam passar despercebidos.

Foi o que aconteceu na Malásia. Foi uma corrida muito agitada para a Red Bull, que viu Sebastian Vettel desrespeitar as ordens dadas pela equipa e ultrapassar o seu companheiro Mark Webber na liderança. Mas também foi um Grande Prémio em que a equipa campeã do mundo se superou nas pit stops.

De acordo com um comunicado da Red Bull tornado público nesta quarta-feira, a equipa conseguiu na Malásia bater o recorde para a paragem nas boxes mais rápida de sempre. “Na verdade, depois de revermos os dados, temos a certeza que batemos o anterior recorde em cinco ocasiões distintas durante a corrida”, pode ler-se.

“A McLaren estabeleceu o recorde no Grande Prémio da Alemanha do ano passado, quando mudou os quatro pneus de Jenson Button em 2,31s. Mas nós, na Malásia, batemos esse registo na primeira pit stop do Seb, em 2,13s. A primeira paragem do Mark, duas voltas depois, também foi feita em 2,13s. A equipa ainda baixou o novo recorde para 2,05s quando o Mark voltou a parar, e as duas paragens seguintes dele ficaram em 2,21s e 2,26s”, acrescenta a Red Bull.

A equipa explica como chegou a estes números: “São retirados dos dados que o carro regista para calcular o tempo que está parado. As televisões fazem cálculos aproximados, e por vezes também fazemos cronometragens a partir do vídeo, apesar de o mais exacto ser o registo de dados do carro”.

É um “bailado improvável de mecânicos”, um piscar de olhos e uma confusão de pneus, conclui a Red Bull. E a equipa acredita que pode fazer melhor: “Ninguém usará a palavra ‘perfeita’. Haverá sempre uma pit stop mais rápida por aí, e é possível que esta temporada vejamos quebrada a barreira mágica dos dois segundos”. Resta esperar para ver.