Em Abril, mentiras mil

Desde novas medidas impostas pela troika, a cortes de salários na Comissão Europeia, passando pela poupança nas instalações do Presidente francês, o Dia das Mentiras foi mais uma vez celebrado com... mentiras.

Foto
Imagem divulgada pela Virgin com o modelo de avião que inclui um chão panorâmico em vidro DR

A Google voltou a esmerar-se para assinalar o dia das mentiras. Uma tradição que aquele gigante da Internet não deixa passar em branco, desta vez com a invenção do Google Nose e o encerramento do YouTube.

O Google Nose funciona em qualquer aparelho com acesso à Internet e o objectivo é que possamos cheirar qualquer coisa. Para isso, basta procurar o objecto ou o aroma pretendido e aproximar a cara do ecrã. Como é que funciona? Uma simples conjugação entre fotões (luz) e infra-sons (sons que não são audíveis para o ser humano). Isto, se fosse verdade.

Entre os comentários ao vídeo publicado pela empresa, poucos são os que admitem ter “caído” na brincadeira da Google. “Eu tentei, tudo o que consigo cheirar é o monitor do computador”, admite um utilizador.

Todos os anos, a Google tenta apanhar incautos cibernautas com mentiras no dia 1 de Abril. Para a história ficou, por exemplo, a explicação, dada em 2002, sobre a tecnologia por detrás do motor de busca que assentava em pombos (Pigeon Rank em vez de Pagerank)

A notícia de encerramento do YouTube também foi encarada com um certo bom humor por parte dos utilizadores deste serviço de partilha online. O vídeo publicado pela empresa fala num concurso, que vai durar até 2023, para escolher o melhor vídeo de entre as centenas de milhões que foram carregados para o site nos últimos oito anos.

Agências de notícias por todo o mundo estão a participar nestas brincadeiras e há até quem noticie que a Comissão Europeia (CE) aceitou um corte de “solidariedade” de 25% nos salários dos funcionários, uma iniciativa que, supostamente, partiu do próprio presidente da CE, Durão Barroso.

A Yahoo! francesa decidiu fazer uma sátira com o Presidente da República francês, François Hollande, ao noticiar que este decidiu mudar o gabinete para subúrbios de Paris, como forma de poupar dinheiro.

A Virgin, uma transportadora aérea, anunciou que vai introduzir um novo modelo de aviões no mercado, com um chão de vidro, algo que foi imediatamente denunciado pelos fãs como falso. Alguns dizem mesmo que é “impossível” a criação de um avião assim.

Em Portugal, a revista Exame Informática noticiou que a troika exigiu que a velocidade máxima de Internet em Portugal descesse para os 6 Mbps, bem como o limite de 50 MB em downloads diários. Uma ideia, diz a revista, que surgiu enquanto o representante do FMI em Portugal, Abel Selassie, visitava o ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble.

O Dia das Mentiras é celebrado um pouco por todo o mundo a 1 de Abril. Não há certezas sobre a origem desta tradição e uma das teorias mais populares é a de que surgiu com uma decisão tomada pelo Papa Gregório XIII em 1582. A partir desse ano, por decisão do Sumo Pontífice, adoptou-se o calendário Gregoriano, que definia que o ano tinha início a 1 de Janeiro, em detrimento do calendário Juliano, que definia Abril como o início do ano. Nem todos adoptaram logo a mudança. E aqueles que ficaram para trás passaram a ser gozados com mentiras.