Spykster/Flickr
Foto
Spykster/Flickr

Megafone

10 dicas (in)falíveis para ser publicado

Eis alguns dos mandamentos: divulgar o seu trabalho, construir uma imagem pessoal, saber a hora certa de contactar a editora e como abordar o editor...

1) O original. Obviamente terá de começar por escrever um livro. Para esta fase, dois conselhos: originalidade e enquadramento. Mais do que uma história fantástica ou um enredo fascinante, um bom livro tem de reflectir a personalidade do escritor e cativar a audiência.

2) Produzir conteúdos. Os leitores estão constantemente expostos a quantidades infindáveis de informação e tendem a perder a atenção. O autor tem de gerir uma comunidade de seguidores e alimentá-la com conteúdos regularmente para não se perder no meio de tanto ruído.

3) Divulgar o seu trabalho. Quantos livros existem no mundo? É demasiada informação, demasiada produção. A probabilidade de ser apenas mais um desses que ficam perdidos entre a gaveta e a livraria é tremenda. Sessões de leitura são óptimas estratégias.

4) Imagem pessoal. Vivemos no mundo das marcas. O autor tem de cultivar uma marca própria e criar interesse em torno de si. Só assim se tornará próximo dos leitores para que a sua obra seja lida e relida.

5) As editoras. Só depois de tudo isto deverá procurar uma editora. Lembre-se de que as editoras são empresas à procura de lucro, nenhum editor irá publicar o trabalho de um desconhecido. Mostrar trabalho feito e alguma base de seguidores é meio caminho andado para a publicação.

6) Contacto directo com o editor. Chegámos à parte complicada! Esqueçam a qualidade da escrita ou a brilhante abordagem à narrativa, nada disso importa sem os contactos certos que possam tirar o livro da gaveta.

7) Carta de apresentação e sinopse. Livros há muitos e, geralmente tendem a ser longos. Um editor só irá ler aqueles que lhe chamarem a atenção. A melhor maneira para conseguir este feito é através de uma carta de apresentação e uma sinopse do livro.

8) Abordar o editor. O editor é responsável de uma empresa que procura lucros. Neste sentido, a abordagem ao editor deve evitar sentimentalismos e objectivos irrealistas. "Vou ser o próximo Saramago!", "Este livro é um Nobel garantido".

9) Apresentar o livro. Imaginemos que conseguiu a tão desejada publicação: o trabalho acabou de começar... As cópias não vão voar sozinhas das prateleiras das livrarias e o marketing das editoras portuguesas é no mínimo modesto.

10) O futuro. Parabéns, publicou um livro! Ainda ninguém o conhece. Escritores publicados há muitos mas apenas meia dúzia é lida e respeitada. O mais importante é não cair no esquecimento.