Há médicos a receber incentivos para cirurgias no horário normal

Inspecção da Saúde detectou vários casos de clínicos do SNS a receber mais de 200 mil euros por ano acima do salário-base em incentivos e horas extraordinárias. Sindicatos falam em situações pontuais.

Coordenador do SIGIC diz que os casos serão "absolutamente residuais e não colocam em causa o que tem sido feito"
Foto
Coordenador do SIGIC diz que os casos serão "absolutamente residuais e não colocam em causa o que tem sido feito" Carlos Lopes/arquivo

Há médicos a receber incentivos financeiros no âmbito de um programa de redução das listas de espera para cirurgia, mas que, na prática, estão a fazer as operações que deveriam ser extraordinárias durante o horário normal de trabalho.

No caso mais flagrante, o de um oftalmologista, foram pagos mais de 1,3 milhões de euros no âmbito do Sistema Integrado de Gestão de Inscritos para Cirurgia (SIGIC), sendo que 1,2 milhões dizem respeito a intervenções feitas durante o horário do médico.

As situações foram detectadas pela Inspecção-Geral das Actividades em Saúde (IGAS) e constam de um relatório a que o PÚBLICO teve acesso e que relata também outros casos de pagamentos indevidos, nomeadamente de horas extraordinárias a outros médicos.

Leia mais no PÚBLICO de hoje e na 

edição online exclusiva para assinantes.