Paulo Bento: “O João Moutinho reaprendeu a jogar em três dias”

O seleccionador nacional destacou a qualidade do jogo português e deixou elogios a Vieirinha. A finalização, porém, continua a merecer reparos do técnico.

Foto
Maxim Shemetov/Reuters

Mais um dia, mais um remoque entre Paulo Bento e Pinto da Costa. Tudo começou com o presidente do FC Porto a criticar a exibição de Portugal frente a Israel (3-3) e a utilização de João Moutinho nos 90’. O seleccionador nacional comparou esses comentários a “postas de pescada”. Depois Pinto da Costa voltou à carga, dizendo que ficou “preocupado” e que João Moutinho “desaprendeu a jogar”.

Pois bem, no final da vitória desta terça-feira sobre o Azerbaijão, Paulo Bento respondeu ao dirigente portista: “O João [Moutinho] reaprendeu a jogar em três dias, o que foi importante. Nos treinos que fizemos aqui ele voltou a ter a qualidade de jogo que normalmente tem. Por isso estamos satisfeitos, apesar de não nos surpreender muito a qualidade de jogo do João. Basta olhar para a carreira dele e para o que dizem os treinadores que teve, desde Vítor Pereira, André Villas-Boas, Carlos Carvalhal, José Peseiro, eu... Não deve enganar muito a qualidade que ele tem. Não deve desaprender em poucos dias, quando vem à selecção nacional”, atirou.

Quanto ao jogo propriamente dito, Paulo Bento destacou a “competência” da equipa: “Tivemos uma primeira parte com qualidade, oportunidades suficientes para chegar ao intervalo com outro resultado. Ao intervalo, tentámos melhorar algumas coisas. Com a expulsão, nem sempre os jogos se tornam mais fáceis, mas conseguimos, jogando com dois homens na frente, fora do que é o desenho habitual da equipa, criar imensas situações de cruzamento que poderiam ter dado mais situações de finalização", descreveu, em declarações à RTP, aludindo a "uma vitória justa que peca por escassa”.

O seleccionador português deixou também palavras elogiosas a Vieirinha, que se estreou como titular pela selecção principal: “Teve uma entrada no jogo bastante positiva, num contexto que não é fácil, porque estamos debaixo de alguma pressão. Teve muita qualidade em termos ofensivos, conferiu-nos muita largura pelo corredor direito, com capacidade de cruzamento muito boa e sob o ponto de vista defensivo bastante competente”, avaliou.

Sobre a ausência de Pepe no próximo encontro de qualificação, por castigo, Paulo Bento foi conciso: “Temos tempo para pensar. É um jogador que tem grande influência na nossa forma de jogar, mas teremos de procurar outras soluções. Hoje não tivemos Nani nem Ronaldo, no outro jogo não tivemos Nani, no próximo não teremos Pepe”.

Antes, já Bruno Alves tinha destacado “a entreajuda tremenda” da selecção como uma das chaves do sucesso frente ao Azerbaijão. “Esta equipa provou que tem capacidade para conseguir o apuramento. Não é nos momentos menos bons que deixo de ter fé. É nesses momentos que mostramos a nossa capacidade, o nosso carácter. Vamos continuar a trabalhar para conseguir o apuramento”.

Sugerir correcção