O actual carregamento de carros eléctricos (como este da Fiat) é demorado e oferece pouca autonomia StevenLaurie/Flickr
Foto
O actual carregamento de carros eléctricos (como este da Fiat) é demorado e oferece pouca autonomia StevenLaurie/Flickr

Investigador português desenvolveu um carregador sem fios para carros eléctricos

Vasco Portugal criou um carregador que está instalado no pavimento: assim que o veículo é estacionado, há transmissão de corrente. Protótipo está exposto no MIT

O carregador é instalado no pavimento e, assim que se estaciona o carro eléctrico, há transferência automática de corrente para a bateria. Este é o conceito desenvolvido por Vasco Portugal, estudante de doutoramento de Sistemas Sustentáveis de Energia, ao abrigo do programa MIT Portugal, e por Jason Grao, estudante de Ciências da Computação, também no MIT. O protótipo estará na exposição “Wheels + Legs”, no MIT Media Lab, até 31 de Maio.

Inicialmente, Vasco Portugal estava a trabalhar no projecto “CityHome”, relacionado com tecnologia para casas. Porém, o projecto “CityCar” (desenvolvimento de um carro eléctrico) surgiu no seu caminho. “Em discussão com colegas, surgiu muitas vezes o tema do carregamento dos carros eléctricos. Demora demasiado tempo, os carros têm uma autonomia baixa e ainda não existem muitos postos de carregamento”, conta, ao P3, o investigador.

Dessas conversas, surgiu a ideia de desafiar Jason Grao para a criação de um sistema que revolucionasse o processo de carregamento dos carros eléctricos.

PÚBLICO -
Foto
Vasco Portugal é investigador do programa MIT Portugal DR

Conforto, mobilidade e estética

A solução encontrada consiste num carregador que fica incrustado no passeio. Assim que o carro é estacionado, o contacto é feito de forma automática e há transmissão de corrente.

“O sistema de estacionamento automático é, cada vez mais, uma realidade de todos os automóveis, pelo que faz sentido que seja o carro a fazer o contacto com o carregador e não o contrário. O fluxo de energia é feito de forma bidireccional. O carro pode estar a receber energia da rede, mas se a rede estiver a atravessar uma fase de pico de consumo, as baterias dos carros podem também servir de ‘back-up’”, explica Vasco Portugal.

Entre as vantagens deste sistema, o investigador destaca o facto de não se ocupar espaço nos passeios, o que se traduz, na sua opinião, em ganhos de mobilidade e de estética. “Mais cedo ou mais tarde, os carros eléctricos vão passar a ser uma certeza. O sistema de carregamento não pode passar por carregadores junto das grandes superfícies comerciais e auto-estradas, como as actuais bombas de gasolina. As especificidades de um sistema de carregamento eléctrico vão obrigar a uma maior disseminação de carregadores”, acrescenta.

Todo o processo foi financiado pelo MIT e a próxima fase passa por fazer a transição da investigação para a comercialização.”Queremos desenvolver um novo protótipo, mais próximo de um produto comercializável”, garante Vasco Portugal.

A participação em concursos de empreendedorismo e inovação está nos planos do investigador. “Já temos alguns em mente, dois deles em Portugal. Sei que as condições não são as mais fáceis, mas acreditamos nas nossas capacidades”, afirma.