Israel sonha com regresso ao Mundial e acredita num empate

A selecção israelita entrega o favoritismo a Portugal.

Os adeptos israelitas acreditam na sua selecção
Foto
Os adeptos israelitas acreditam na sua selecção Nir Elias/Reuters

Será desta que a selecção israelita regressa a um Campeonato do Mundo? A última (e única) presença remonta a 1970 - o saldo final foi uma derrota com o Uruguai e dois empates (Suécia e Itália), que deram a Israel o último lugar no Grupo 2.

A ausência vai-se tornando longa, mas a boa prestação da equipa na qualificação para 2014 dá alento aos israelitas. A selecção orientada por Eli Guttman ocupa o segundo lugar no Grupo F, apenas atrás da Rússia. Após quatro jogos, os israelitas somam sete pontos: os mesmos que Portugal, embora Israel tenha melhor diferença de golos.

O jogo desta tarde (12h45, RTP1) será um teste à capacidade de os israelitas levarem adiante uma candidatura real a uma vaga no Mundial 2014. "As pessoas acreditam que não é impossível um empate. Mas, se analisarmos objectivamente, toda a gente sabe que Portugal é melhor e favorito", apontou Zouheir Bahloul, analista de futebol, em conversa com o PÚBLICO.

A selecção israelita mistura jogadores experientes com outros mais novos que começam a assumir protagonismo: Benayoun, Ben Haim ou o guarda-redes Aouate são os veteranos da equipa de Guttman, em que despontam jogadores como Hemed (oito golos na Liga espanhola pelo Maiorca e cinco no apuramento para o Mundial 2014), Ben Basat (dez golos na Liga francesa pelo Toulouse e dois na qualificação) ou Bebras Natcho. Sobre este último, actualmente ao serviço do Rubin Kazan, Bahloul diz que é bem conhecido do seleccionador: "Treinou-o várias épocas no Hapoel Telavive. Tem jogado em todos os encontros na qualificação para 2014."

"Benayoun continua a ser visto como o grande talento da equipa. É um jogador único, muito tecnicista e bom capitão. Fez alguns jogos [pelo Chelsea] ultimamente e a pressão do público levará a que jogue contra Portugal. Não há muitos jogadores com o talento dele", acrescentou Bahloul. O analista acredita que Israel entrará à defesa: "Portugal é a equipa favorita. Por essa razão, Guttman deverá optar por jogar com três centrais e depois três ou quatro jogadores no meio-campo." Na frente deverá haver um atacante solitário. "A dúvida é entre Hemed e Ben Basat. Hemed é uma das surpresas e tem bom jogo aéreo. Ben Basat é mais rápido", indicou Bahloul.

Jogue quem jogue, é improvável que se repita o hat-trick de "Benny" Tabak, no único encontro entre Israel e Portugal realizado em solo israelita, no apuramento para o Mundial 1982. "Estava lá no estádio. Esta não é a mesma equipa de Portugal - nessa altura não havia Cristiano Ronaldo. Agora têm um dos melhores jogadores do mundo", sublinhou o analista, admitindo que o internacional português do Real Madrid é um dos grandes atractivos da partida. "De certeza o estádio estará esgotado", concluiu.

Sugerir correcção