FED mantém pacote de estímulos face ao crescimento económico moderado

Reserva Federal diz estar atenta à crise em Chipre.

Ben Bernanke, presidente da Fed norte-americana, deve hoje anunciar se haverá medidas de estímulo à economia
Foto
Ben Bernanke Molly Riley/Reuters (Arquivo)

A Reserva Federal (Fed) norte-americana decidiu esta quarta-feira manter o pacote de medidas de estímulo económico, sustentado que os sinais de melhoria no mercado de trabalho ainda são reduzidos.

Em conferência de Imprensa, o presidente da Fed, Ben Bernanke, admitiu que a crise que se vive em Chipre não terá impactos na economia global, a menos que verifique um efeito de contágio a outros países da zona euro.

Apesar de defender que acredita que os europeus encontrarão uma solução” para a crise de Chipre, o presidente da Fed admitiu que está a seguir a situação “muito de perto”.

Na sequência de um crescimento económico “moderado”, as decisões da reunião mensal da Fed acabaram por não surpreender, ou seja, manteve-se o compromisso de manter a actual política monetária, com o compromisso de manter as taxas de juro entre zero e 0,25% e o objectivo de manter a taxa de desemprego abaixo dos 6,5%.

“O sector imobiliário fortaleceu-se, mas a política fiscal tornou-se mais restritiva”, refere o comunicado da Fed, referindo-se aos recentes cortes de gastos em Washington.

Nas declarações aos jornalistas, Bernanke criticou as medidas fiscais adoptadas, que em sua opinião travam a recuperação da economia norte-americana e alertou para o facto da política monetária não poder compensar um “ajuste fiscal dessa magnitude”, que se calcula em 0,6% do PIB só em 2013.