Novo presidente do Sporting pode vir a ser anunciado três dias depois das eleições

O prazo de recepção dos votos por correspondência foi alargado até 26 de Março.

Eduardo Barroso, presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting vai receber um requerimento para convocar uma AG
Foto
Eduardo Barroso ainda é o presidente da mesa da AG Nuno Ferreira Santos

O Sporting vai a eleições no sábado, dia 23 de Março, mas o nome do novo presidente do clube poderá só ficar a ser conhecido três dias depois. Isto porque a Mesa da Assembleia Geral (AG) do Sporting, dirigida por Eduardo Barroso, alargou o prazo para a recepção dos votos por correspondência até 26 de Março. Se, no final da noite de sábado, a diferença de votos entre a primeira e a segunda candidaturas mais votadas for inferior a 7.981 (o número de sócios que vota por correspondência), será preciso esperar.

“O Presidente da Mesa da AG contactou os três candidatos a presidente do Conselho Directivo – Carlos Severino (lista A), Bruno Carvalho (lista B) e José Couceiro (lista C) – bem como os mandatários das quatro listas concorrentes aos diversos órgãos, com o objectivo de prorrogar o prazo de recepção dos boletins de voto por correspondência até dia 26 de Março inclusive, desde que a data de envio constante do carimbo de emissão dos correios seja a de dia 22 de Março, o que foi por todos aceite”, pode ler-se num comunicado assinado por Eduardo Barroso.

Também nesta terça-feira, o Conselho Directivo do Sporting tinha responsabilizado a Mesa da AG do clube pela organização das eleições de sábado, e manifestara preocupação com o descontentamento dos sócios em relação aos votos por correspondência. “O Conselho Directivo manifesta preocupação perante o crescente descontentamento dos sócios relativamente ao atraso na implementação do processo de voto por correspondência e a própria organização da AG eleitoral do próximo dia 23 de Março”, podia ler-se num comunicado da direcção “leonina”.

“A organização de toda a AG eleitoral é, nos termos dos estatutos, da exclusiva responsabilidade da Mesa da AG, que tem conhecimento das alterações estatutárias desde Julho de 2011, nada tendo feito para a sua cuidada, atempada e responsável implementação”, acrescentava o comunicado da direcção cessante, liderada por Godinho Lopes.

Sugerir correcção