Primeira homilia do Papa: "Sem Jesus Cristo, podemos ser uma ONG piedosa, mas não a Igreja"

Francisco celebrou primeira missa. Quer uma Igreja a pregar os valores de Cristo e em movimento.

Foto

O movimento foi a ideia central da primeira homilia do Papa Francisco, que na tarde desta quinta-feira celebrou uma missa na Capela Sistina, com os outros 114 cardeais. Foi o momento que marcou o fim do conclave.

Depois de lidas as leituras e o Evangelho, foi a vez de Francisco iniciar a homilia. “Estas três leituras têm uma coisa em comum: o movimento”, disse o novo Papa, no início da sua intervenção, em italiano e sem recurso a quaisquer notas escritas.

“Na primeira, o movimento no caminho; na segunda na edificação da Igreja; na terceira o movimento da confissão. Caminhar, edificar e professar”, enumerou o sucessor de Bento XVI, elegendo aqui algumas ideias para o início do seu pontificado.

"A nossa vida é um caminho e é errado se pararmos. Devemos caminhar sempre, na presença e na luz do Senhor", disse o argentino, lembrando o que Deus terá pedido a Abraão. "Caminha na minha presença e sê perfeito [irrepreensível]"

O primeiro Papa latino-americano apelou ainda à fé dos católicos e à divulgação da mensagem de Cristo e acrescentou: “Sem Jesus Cristo, podemos ser uma ONG [organização não governamental] piedosa, mas não a Igreja.”

A primeira homilia de Francisco foi dos pontos mais altos do seu primeiro dia como Papa.

O novo líder da Igreja Católica passou a primeira noite após a eleição na Casa de Santa Marta, onde também ficaram alojados os cardeais que participaram no conclave. Terá recusado ainda na quarta-feira usar o carro que o esperava para o levar a Santa Marta, após a eleição, e regressou num pequeno autocarro, na companhia de outros cardeais.

Francisco decidiu ainda regressar ao hotel onde esteve hospedado antes do conclave para ir buscar a sua bagagem e pagar a factura da estadia.

Na manhã desta quinta-feira, pouco depois das 7h, o Sumo Pontífice rezou, em privado, na Basílica de Santa Maria Maior. Junto à representação da Virgem na capela, o Papa depôs um ramo de flores e após a oração saudou todas as pessoas presentes e o pessoal da basílica. "Rezem pelo Papa", pediu-lhes, antes de se despedir, cerca de meia hora depois de ter entrado.

Está previsto que ainda nesta quinta-feira, o Papa se dirija ao apartamento papal onde irá ficar instalado durante o seu pontificado e retire o selo que vedou o acesso à habitação durante a Sede Vacante. Seguem-se algumas obras de remodelação que, segundo o porta-voz do Vaticano, serão “rápidas”. Terminadas, Francisco poderá instalar-se naquela que será a sua residência oficial.

Já no próximo domingo, o Papa irá recitar o primeiro Angelus, a partir da janela daquele que será o seu gabinete. Na terça-feira, dia 19 de Março, decorrem as cerimónias de entronização de Francisco. O Presidente da República, Cavaco Silva, estará presente, sendo esperado que outros chefes de Estado e de Governo também se desloquem a Roma para as celebrações.