NASA afirma que o planeta Marte já foi propício à vida

A análise de uma amostra de rocha recentemente recolhida pelo robô Curiosity mostra, segundo a agência espacial norte-americana, que o planeta vermelho poderá ter sustentado vida microbiana no passado.

Foto
O pó cinzento recolhido pelo robô da NASA há umas semanas NASA

A amostra de solo marciano, recolhida pelo Curiosity no passado mês de Fevereiro, contém enxofre, azoto, hidrogénio, oxigénio, fósforo e carbono – alguns dos ingredientes indispensáveis à vida –, anunciou a agência espacial norte-americana NASA em comunicado.  

“A pergunta fundamental nesta missão é a de saber se Marte poderá ter possuído um ambiente habitável”, disse Michael Meyer, responsável científico pelo programa de exploração de Marte da NASA, citado pelo mesmo documento. “E pelo que sabemos agora, a resposta é sim”.

A amostra analisada provém de um veio de rocha sedimentar de grãos finos, de cor cinzenta, que contrasta com a rocha avermelhada da paisagem marciana. Foi recolhida perto do antigo leito de um rio, na cratera Gale, e agora analisada por dois equipamentos do Curiosity:  o instrumento de química e mineralogia e o instrumento de análise de amostras de Marte.

“O leque de ingredientes químicos que identificámos na amostra é impressionante e sugere associações, por exemplo de sulfatos e sulfuretos, que indicam uma potencial fonte de energia para microrganismos”, disse por seu lado Paul Mahaffy, responsável da NASA pelos instrumentos de recolhas de amostras do robô.

Quanto a John Grotzinger, cientista da NASA e do Instituto de Tecnologia da Califórnia, acrescenta: “Caracterizámos um muito antigo, mas curiosamente novo, ‘Marte cinzento',  onde as condições foram em tempos favoráveis à vida”.