Um novo Trainspotting, 20 anos depois

Da heroína à pornografia, Danny Boyle planeia novo capítulo da história de Renton, Sick Boy, Spud, Begbie e Diane para 2016

Foto
O grupo de heroinómanos de Edimburgo pode voltar a reunir-se em breve DR

É uma Edimburgo que conhecemos bem: suja, festeira e poluída pelas drogas e pelo niilismo embriagado de Irvine Welsh e Danny Boyle. Vinte anos depois, a cidade em que o realizador do oscarizado Quem Quer Ser Bilionário trilhou o seu caminho do culto para o mainstream deve voltar a ser filmada, em formato sequela. Danny Boyle está a planear voltar a Trainspotting em 2016, quando o filme baseado no romance homónimo de Welsh cumpre o seu 20.º aniversário.

O plano é juntar de novo o grupo – Ewan McGregor (Renton), Jonny Lee Miller (Sick Boy), Ewen Bremner (Spud), Begbie (Robert Carlyle) e Kelly MacDonald (Diane) – para um filme pronto a estrear em 2016. Segundo Danny Boyle, o argumentista de Trainspotting e dos seus primeiros quatro filmes, John Hodge, já está a trabalhar Porno (2002), o romance de Welsh que serve de capítulo seguinte da saga do grupo de heroinómanos. O romance, como o próprio nome indica, centra-se na tentativa do grupo de realizar um filme pornográfico com o intuito de fazer dinheiro. 

Mas a adaptação de Porno será solta q.b., disse o realizador ao canal The Playlist, do site Indiewire, que explica ainda que "sempre houve um plano a longo prazo para um Trainspotting 2" e que "se John conseguir produzir um guião suficientemente bom", não vê motivos para que Ewan McGregor – o actor que, do elenco, mais sucesso alcançou desde o filme de 1996 – " e o resto do elenco não voltem". Ainda assim, salvaguarda: "Teríamos sempre de ter Irvine a bordo" do projecto.

McGregor é mencionado por Boyle não só pelo facto de ser hoje o mais valioso (leia-se o mais bem pago) intérprete do elenco, mas também por ter sido o protagonista dos primeiros filmes do realizador britânico. McGregor participou na primeira longa-metragem para o cinema de Boyle, Pequenos Crimes Entre Amigos (1994), em Trainspotting e também em Vidas Diferentes (1997), já com Boyle a introduzir-se no mercado americano. Depois, aconteceu A Praia, o filme que acabou por ser de Leonardo DiCaprio, mas que, segundo McGregor, lhe tinha sido prometido. Actor e realizador zangaram-se e não há relatos da sua reconciliação.

Boyle, que se encontra agora a promover o seu novo filme, Trance – protagonizado por James McAvoy e Rosario Dawson, com estreia marcada para Portugal a 25 de Abril e do qual deu a conhecer um excerto no sábado passado no festival texano South by Soutwest –, explica que o motivo pelo qual quer regressar ao universo humoradamente escatológico e desolado que o escocês Irvine Welsh explorou no seu romance de estreia (1993) é o apreço "que as pessoas têm pelo original". "Por isso queremos assegurar-nos de que não desiludimos as pessoas. Esse será, penso, o único critério."