Marcelo: Passos “arranjou um berbicacho” com o salário mínimo

O antigo líder abordou também o prefácio de Cavaco Silva, afirmando que não disse nada de novo.

"É cada vez mais necessária uma remodelação no Governo", diz Marcelo Rebelo de Sousa
Foto
"É cada vez mais necessária uma remodelação no Governo", diz Marcelo Rebelo de Sousa Nuno Ferreira Santos

Marcelo Rebelo de Sousa acusou neste domingo o Governo de ter arranjado um “berbicacho” com o salário mínimo numa semana com boas notícias para Portugal.

No seu habitual comentário de domingo na TVI, o antigo Presidente do PSD lembrou os factos de Portugal ter mais tempo para pagar a dívida, a subida do rating do país e as declarações de Durão Barroso sobre o apoio da União Europeia para dar mais um ano ao Governo para cumprir o défice. “O Governo, em vez de explicar as boas notícias, arranjou um berbicacho com o salário mínimo”, afirmou o social-democrata.

O também Conselheiro de Estado de Cavaco Silva lembrou que o PS tinha pedido um aumento do salário mínimo e disse que Passos Coelho, questionado sobre a matéria, teve a pior atitude. O primeiro-ministro disse que o melhor para criar emprego era baixar o salário mínimo, mas que não o iria fazer.

Para Marcelo, numa altura em que colocava na boca de Passos o que ele não disse – que queria baixar o salário mínimo -, apareceu “o inefável António Borges a afirmar que o ideal era baixar os salários. “A oposição apareceu logo a dizer que ele [Borges] estava a dizer em voz alta o que Passos não diz”, acrescentou. “Foi um, dois, três, quatro tiros nos pés”, afirmou.

Nada de novo com Cavaco
Já sobre o prefácio de Cavaco Silva ao livro Roteiros VII, que faz o balanço do último ano da presidência, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou na TVI que o Chefe de Estado disse o que já se sabia e o que sempre pensou.

Resumindo, o antigo líder do PSD diz que Cavaco Silva disse que não vai fazer nada enquanto a troika estiver em Portugal, que é livre para criticar as políticas europeias, que apoia o Governo e que actua nos bastidores para obter consensos. Para Marcelo, o actual Presidente “tem a visão mais minimalista dos poderes presidências” de todos os chefes de Estado que já passaram por Belém na democracia.

Para os que achavam que Cavaco Silva ia demitir o Governo ou algo do género, Marcelo reafirmou: “Ele [Cavaco] é herbívoro, não é carnívoro. Não vai estar refastelado a comer a carne. Come erva.”

No que respeita à sétima avaliação da troika, que deve ser conhecida nos próximo dias, Marcelo diz saber que na tarde deste domingo “houve muita tensão” entre o Governo e os representantes dos credores.