DR
Foto
DR

Yellow Van: a carrinha do surf

Dois surfistas criaram um serviço proporciona primeiras experiências na prática de surf. Pelo meio, há passeios ao longo da costa

Passear ao longo da costa, numa carrinha amarela, e parar para fazer surf sempre que houver ondas. Este é o conceito da Yellow Van.

 

A ideia partiu de Rui Esteves e Carlos Lima, ambos surfistas, que tinham por hábito levar familiares, amigos e surfistas de outros países a conhecer as ondas de algumas praias da região de Lisboa. “Os nossos empregos não eram estáveis e percebemos que havia potencial de negócio nos passeios dedicados ao surf”, explica Rui Esteves, ao P3.

PÚBLICO -
Foto
Um dos clientes da Yellow Van enviou uma mensagem de Taiwan DR

 

PÚBLICO -
Foto
A oferta Yellow Van inclui várias praias da costa portuguesa DR

O objectivo passa por proporcionar aos clientes uma primeira experiência de surf. Mas não só. “Se o cliente pretender praticar outra modalidade, como o 'longboard', o ‘bodyboard’ ou o ‘kitesurf’, por exemplo, podemos arranjar um professor”, afirma Rui Esteves.

 

Os planos pré-definidos da Yelow Van permitem um máximo de oito pessoas por viagem e incluem vários tipos de percurso. Desde o meio dia de surf, em Lisboa (30 euros) até ao Portugal Surf Trip (1200 euros), há diversas opções. Para além destes planos, existe a possibilidade de os clientes sugerirem outros trajectos.

 

“Para além do surf, valorizamos a experiência da viagem. Tentamos ir aos locais que frequentamos com os nossos amigos, não necessariamente aos mais caros. Apesar disso, se houver lugares que os clientes nos peçam para visitar, também os visitamos”, garante o surfista.

 

Alemanha, Estados Unidos, Austrália e Japão são alguns dos países de onde já chegaram clientes da Yellow Van.

 

O surf em Portugal

Para além da componente desportiva do surf, há outra que o co-fundador da Yellow Van destaca: o convívio. Segundo o próprio, trata-se de reviver o “espírito da década de 60”.

 

Nas viagens mais longas, os percursos são feitos pelas estradas nacionais. A ideia é mostrar algumas localidades, fugindo à paisagem repetitiva das auto-estradas.

 

Rui Esteves destaca o potencial que a costa portuguesa tem para a prática de surf. “Dos 800 quilómetros de costa portuguesa, 600 têm boas condições para o surf. Podemos viajar com os nossos clientes e, se houver ondas, há margem para parar e ir para o mar”, afirma.

 

Segundo o surfista, a região de Lisboa tem vantagens, relativamente a outros locais, para a prática desta modalidade

 

“Não é necessário percorrer muitos quilómetros para encontrar uma praia com boas ondas. Em 90 por cento dos dias, estão reunidas as condições para o surf”, garante.