Jerónimo de Sousa desafia jovens a aderir ao PCP

“Este é um tempo de tomar partido” foi o mote da intervenção do secretário-geral do PCP durante a comemoração do 92º aniversário do Partido Comunista Português

Foto
"Mais de dois milhões de portugueses já vivem abaixo do limitar da pobreza", alerta o líder do PCP Nuno Ferreira Santos

Durante o evento, também integrado nas comemorações dos 100 anos do nascimento de Álvaro Cunhal, Jerónimo de Sousa lembrou que “o mundo mudou” e que, tal como no passado, “estamos numa nova encruzilhada que a todos interpela”.

Perante os novos desafios, o líder comunista apelou aos jovens para que “não hesitem em escolher e ser protagonistas no caminho da luta”, tendo vincado as diferenças entre militar no PCP ou noutros partidos. “Inscrever-se num partido, por exemplo, para um patrão, o que é que incomoda ser do BE - isso papam eles ao pequeno-almoço, não se preocupam nada”, ironizou.  

Entre gritos de incentivo da plateia, “PCP, PCP, PCP”, Jerónimo de Sousa relembrou o propósito de militar no partido comunista: “Servir os interesses dos trabalhadores e do povo e não os próprios”, disse, numa alusão ao salário de metalúrgico que mantém.   

Grândola, vila morena e palavras de ordem como “25 de Abril sempre, fascismo nunca mais” marcaram o fim da intervenção de Jerónimo de Sousa.