Gonçalo M. Tavares entre os nomeados para Prémio de Melhor Livro Traduzido nos EUA

Gonçalo M. Tavares foi premiado pelo romance "Uma Viagem à Índia"
Foto
Gonçalo M. Tavares concorre ao prémio com a obra A Máquina de Joseph Walser Nuno Ferreira Santos

O escritor Gonçalo M. Tavares está entre os 25 nomeados para o Prémio de Melhor Livro Traduzido nos Estados Unidos na categoria de ficção, com a obra A Máquina de Joseph Walser , anunciou hoje a Editorial Caminho.

De acordo com a editora, a Three Percent, criada pela Universidade de Rochester, organizadora do galardão patrocinado pela Amazon, anunciou na terça-feira a lista de nomeados, entre os quais constam, além do autor português, Herta Müller, Clarice Lispector e Michel Houellebecq.

Gonçalo M. Tavares também está nomeado para o International IMPAC Dublin Literary Award 2013, pelo livro Aprender a Rezar na Era da Técnica.

Publicado nos Estados Unidos pela Dalkey Archive Press sob o título Joseph Walser’s Machine ( A Máquina de Joseph Walser), o livro foi traduzido por Rhett McNeil.

O Prémio de Melhor Livro Traduzido nos Estados Unidos é atribuído anualmente ao melhor livro traduzido para inglês e publicado nos Estados Unidos, tendo habitualmente em conta a qualidade da obra e da tradução.

A Three Percent destaca que o galardão é “uma oportunidade para honrar e distinguir tradutores, editores e outros agentes literários que ajudam a disponibilizar literatura de outras culturas aos leitores americanos”.

De acordo com a Caminho, entre os 25 nomeados de dezanove países e de treze línguas diferentes, contam-se nomes como a Prémio Nobel da Literatura Herta Müller, com o livro Tudo o Que Eu Tenho Trago Comigo, Clarice Lispector, com Um Sopro de Vida, e Michel Houellebecq, autor de O Mapa e o Território.

Os finalistas serão anunciados no dia 10 de Abril, e a cerimónia de entrega dos prémios decorrerá em Nova Iorque no dia 4 de Junho.

O autor e o tradutor das obras distinguidas nas categorias de Ficção e Poesia receberão um prémio monetário de cinco mil dólares (cerca de 3800 euros) cada, atribuído pela Amazon.

O júri do prémio é constituído pela editora Monica Carter, o tradutor e crítico Tess Doering Lewis, Scott Esposito, do Center for the Art of Translation, Susan Harris, de Words Without Borders, o tradutor Bill Martin, Bill Marx, da Arts Fuse, Michael Orthofer, da Complete Review, Stephen Sparks, da Green Apple Books, e Jenn Witte, da Skylight Books.

Nascido em Luanda, em 1970, Gonçalo M. Tavares já foi galardoado com, entre outros, o Prémio Portugal Telecom (2007), o Prémio José Saramago (2005), o Prémio LER/Millennium BCP (2004), e o Prémio do Melhor Livro Estrangeiro publicado em França (2010), com o romance Aprender a Rezar na Era da Técnica.

Os livros de Gonçalo M. Tavares – com traduções em 45 países – deram origem a peças de teatro, de ópera, objectos artísticos e vídeos de arte.