Neve caiu em Portalegre e Évora, mas nem se viu em Sintra

Previsões confirmaram-se em alguns casos. Durante a noite, nevou em locais habitualmente improváveis.

Fotogaleria
Trancoso César Prata
Fotogaleria
Curros, Boticas Paulo Miguel
Fotogaleria
Prado do Vidoal, Parque Nacional da Peneda-Gerês Rui Barbosa
Fotogaleria
Curros, Boticas Paulo Miguel
Fotogaleria
Chaves Gustavo Queirós
Fotogaleria
Chaves Gustavo Queirós
Fotogaleria
Chaves Gustavo Queirós
Fotogaleria
Chaves Gustavo Queirós
Fotogaleria
Aldeia de São Lourenço, Chaves Nuno Frade
Fotogaleria
Aldeia de São Lourenço, Chaves Nuno Frade
Fotogaleria
Aldeia de São Lourenço, Chaves Nuno Frade

Os meteorologistas admitiam a possibilidade de queda de neve em locais onde não é costume e as previsões confirmaram-se, em parte: durante a noite, nevou em Portalegre e em Évora. Para Sintra também estava prevista neve, mas há registo apenas de aguaceiros fracos e frio.

A serra de São Mamede, em Portalegre, acordou nesta quinta-feira coberta de neve, obrigando ao corte temporário de algumas estradas municipais, segundo os bombeiros. A neve começou a cair ao final da tarde de quarta-feira, na zona mais alta da serra, formando um "manto branco", segundo a mesma fonte.

Nesta quinta-feira de manhã, a situação normalizou e as estradas municipais foram reabertas ao trânsito. No entanto, o distrito de Portalegre continua sob aviso amarelo até ao meio-dia, devido à previsão de queda de neve acima dos 600 a 800 metros, descendo depois a cota para os 200 a 400 metros.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) disse à Lusa que há também registo de queda de neve no concelho raiano de Elvas. O mesmo aconteceu em Évora, mais a sul, nas zonas de Estremoz, Borba e Vila Viçosa.

O Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA) alertou na quarta-feira para a possibilidade de nevar durante a noite na região de Lisboa, nomeadamente em Sintra, mas tal não aconteceu. Segundo o CDOS de Lisboa e os Bombeiros de Sintra, não houve qualquer registo de neve, tendo caído apenas aguaceiros fracos. A possibilidade mantém-se, segundo o IPMA, até ao final da manhã.

Na quarta-feira, a meteorologista Cristina Simões explicava à Lusa que a queda de neve a cotas mais baixas se deve à passagem de uma massa de ar fria. Porém, esta é uma situação "normal", garantiu.