Seguro reúne-se com parceiros sociais

Secretário-geral do PS encontra-se com parceiros sociais por causa da política económica do Governo

“Até ao final do ano [o PS vai apresentar] uma proposta de alteração da lei eleitoral", garantiu Seguro
Foto
“Até ao final do ano [o PS vai apresentar] uma proposta de alteração da lei eleitoral", garantiu Seguro Daniel Rocha

O secretário-geral do PS inicia nesta segunda-feira encontros com os parceiros sociais, enquadrados pelo início da sétima avaliação da troika e pelo debate de urgência que os socialistas promovem no Parlamento, disse o secretário nacional socialista Miguel Laranjeiro.

"Esta é uma semana importante quer pelo início da sétima avaliação da troika quer pelo debate de urgência sobre a saída da crise, por iniciativa do PS, na Assembleia da República", afirmou Miguel Laranjeiro.

Segundo o dirigente socialista, as reuniões do líder do PS, António José Seguro, com os parceiros sociais impõem-se "pela situação económica e social de enorme gravidade que Portugal hoje está a viver e o falhanço colossal da política económica do Governo".

"O PS, no fundo, está a fazer aquilo que o Governo não é capaz de fazer: manter e desenvolver um diálogo com os portugueses, com os parceiros sociais, neste caso", disse.

Os encontros começam esta segunda-feira com reuniões com a CGTP-IN, a Confederação do Turismo Português e a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), e terminam na terça-feira, dia em que António José Seguro se reúne com a Confederação do Comércio e Serviços de Portugal, a Confederação Empresarial de Portugal (CIP), encerrando com a UGT.

"É importante unir os portugueses, ao invés do que tem feito o Governo, que é dividir Portugal e os portugueses. O PS pretende unir e para isso é importante juntar esforços e perceber as condições de todos os parceiros", sustentou Miguel Laranjeiro.