Mourinho “elogia” o desportivismo do Barça

O treinador português do Real Madrid optou pela ironia para responder ao treinador adjunto do Barcelona, que questionou a “permissividade” do árbitro do próximo jogo entre os dois rivais.

Foto
Não brinquem com Mourinho Javier Soriano/AFP

Em Valdebebas, local de treinos do Real Madrid, José Mourinho esteve presente na primeira conferência de imprensa desde o ano passado. E as suas declarações foram à altura da ocasião: na antevisão do Barcelona-Real Madrid, da segunda mão da meia-final da Taça do Rei, disse que “prefere” lembrar-se das “lições de desportivismo” dadas pelos catalães, em resposta ao adjunto do Barça, que tinha questionado a “permissividade” do árbitro do próximo jogo entre as duas equipas.

Foi neste estado de espírito que José Mourinho enfrentou diversas perguntas com a segunda mão da meia-final frente ao Barcelona no horizonte, e numa fase crítica para o clube, já que voltará a enfrentar o principal rival no fim-de-semana, e depois disputará o acesso aos quartos-de-final da Liga dos Campeões com o Manchester United.

O Real Madrid joga a temporada nos próximos oito dias. Contudo, Mourinho assinalou que é uma questão de rotina, “uma semana normal”. “São jogos de que todos querem fazer parte e nós gostamos de os jogar pela relevância e dificuldade. Queremos que cheguem rápido”, notou o técnico português.

A única pergunta que activou minimamente o treinador merengue foi uma sobre os árbitros, um dos seus temas favoritos. O jornal Marca refere que Mourinho ironizou as declarações do treinador adjunto da equipa do Barcelona, Jordi Roura, sobre a permissividade que demonstrou o árbitro, Undiano Mallenco, na final da Taça do Rei, em 2011, frente ao Real Madrid.

Roura observou que “é uma evidência” que o desempenho da equipa catalã “é bastante pior” nas partidas dirigidas por Undiano Mallenco, que, na final de 2011, expulsou o argentino Di Maria no último minuto do prolongamento, num jogo em que o golo do português Cristiano Ronaldo valeu ao Real Madrid a conquista do troféu.

“Prefiro ficar-me pelas lições do Barcelona que temos recebido no passado, lições de desportivismo, de como estar no futebol sem pressionar os árbitros, sem os rodear durante os jogos, sem fazer simulações para que o adversário seja punido com cartões”, respondeu Mourinho, de forma irónica. “Obviamente que é preferível que joguem futebol tão bem como o fazem. Prefiro limitar-me a esta ideia”, acrescentou.

Mas houve outros temas na conferência de imprensa de José Mourinho. Por exemplo, quando um jornalista do As lhe perguntou se está preocupado por já se falar de possíveis sucessores no comando técnico do Real Madrid, o português foi breve e respondeu, sem mexer um músculo, apenas uma palavra: “Não”.

Quando questionado sobre se já teria definido o “onze” para o jogo com o Barcelona, Mourinho disse não saber. “Não é que não queira dizer, é que não sei mesmo. Ainda não pensei nisso. Normalmente sei-o, mas não digo. Desta vez, não sei”, concluiu.