Amor conquista o Óscar de melhor filme estrangeiro

Foto

Depois de conquistar a crítica e os prémios que antecedem os Óscares, a longa-metragem do austríaco Michael Haneke recebeu o Óscar de melhor filme estrangeiro.

Amor, que se estreou no ano passado em Cannes, onde venceu a Palma de Ouro, retrata a vida de um casal na terceira idade, que se vê obrigado a mudar de vida depois de Anne (Emmanuelle Riva) sofrer um acidente cardiovascular.

Ao receber o Óscar, Haneke agradeceu à equipa, à mulher e aos actores do filme. “Sem eles nunca estaria aqui”, disse o realizador, que ainda na sexta-feira brilhou na entrega dos prémios César, considerados os Óscares do cinema francês, ao vencer nas principais categorias.

Amor está nomeado em cinco categorias, incluindo a de melhor filme. Michael Haneke pode conquistar a estatueta de melhor realizador.

Para trás ficaram o norueguês Kon-Tiki, o chileno NO, o dinamarquês A Royal Affair e o canadiano War Witch.

Para os leitores do PÚBLICO, Amor foi também o preferido nesta categoria.