Associações de estudantes apelam a participação massiva na manifestação de 2 de Março

Academias de todo o país estão unidas na luta para restabelecer “os pilares básicos do projecto democrático para o ensino superior”.

Fotogaleria
Em Novembro milhares de estudantes manifestaram-se em Lisboa Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Associações querem que estudantes se manifestem no próximo dia 2 de Março Nuno Ferreira Santos

A manifestação de 2 de Março vai contar com a presença de estudantes de vários pontos do país. Associações académicas, de estudantes e grupos de activistas estão unidos no apelo à “participação massiva” na manifestação organizada pelo movimento Que se Lixe a troika.

No manifesto enviado à comunicação social, as associações académicas acusam o Estado de tentar “desresponsabilizar-se da sua função de garantir uma educação pública e universal para todos, dando-lhes como alternativa a precariedade ou a emigração”. Neste sentido, consideram necessária a realização de uma manifestação que “pare a austeridade”, “demita este Governo” e “expulse a troika”.

Os estudantes vão sair à rua contra o aumento das propinas, a redução geral do acesso a bolsas de estudo e a intensificação dos empréstimos bancários que, segundo as associações, “abrangem hoje cerca de 12 mil estudantes, que devem 200 milhões de euros à banca”.

No apelo estão incluídas a Associação de Estudantes do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa-Instituto Universitário de Lisboa, Associação de Estudantes da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Associação Académica da Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e activistas do Grupo de Estudos Políticos da Universidade da Beira Interior.

Recorde-se que, a 22 de Novembro, centenas de estudantes de todo o país se deslocaram a Lisboa para protestar também contra o fim do passe escolar e o corte no financiamento das instituições universitárias.