Grupo Impala condenado a pagar 730 mil euros a Santana Lopes por difamação

A acção foi interposta por situações de difamação durante o tempo em que Santana Lopes foi primeiro-ministro, noticia o Expresso.

Foto
O caso remonta ao tempo de Santana Lopes como primeiro-ministro Enric Vives-Rubio

O grupo de media Impala foi condenado a pagar uma indemnização de 730 mil euros a Pedro Santana Lopes.

De acordo com o Expresso, 700 mil euros são devidos por danos patrimoniais e 30 mil euros por danos morais, e esta é uma das maiores indemnizações de sempre no sector da comunicação social.

A acção foi encetada em 2007 e na sexta-feira a advogada foi notificada da sentença da primeira instância, o Tribunal de Sintra, actualmente Comarca da Grande Lisboa - Noroeste, afirmou à Lusa Andrea Campos, a advogada que conduziu o processo.

Segundo a advogada, foi condenado o grupo Impala e alguns jornalistas e directores de revistas em que foram publicados artigos na altura em que Pedro Santana Lopes tomou posse como primeiro-ministro.

No âmbito desta acção de responsabilidade civil, foi condenado o director-geral do grupo Impala, Carlos Ventura Martins, e outros directores de publicações, de acordo com a mesma fonte.

O grupo é dono de revistas como a Maria, TV 7 Dias e Nova Gente e era dono da extinta Focus.