Fotogaleria
DnDenito/Flickr
Fotogaleria
DnDenito/Flickr

Investigadores querem criar hambúrgueres de peixe

Objectivo dos cientistas portugueses é criar um novo hambúrguer que incentive o consumo de peixe. A ideia é desenvolver um produto para crianças e outro para adultos, que devem ser comercializados ainda em 2013

Investigadores da Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar, de Peniche, estão a estudar a preparação de um inovador hambúrguer de peixe, que será comercializado ainda este ano.

O incentivo ao consumo de peixe é um dos objectivos do novo produto e o grupo de investigadores já testou a aplicação de diferentes espécies de peixe ao hambúrguer, desde pescada, tintureira e paloco, espécies às quais se pretende acrescentar maior valor comercial. Cavala e sardinha, espécies capturadas na costa atlântica portuguesa, são outras possibilidades.

Maria Manuel Gil, docente que coordena a investigação, explicou à agência Lusa que a ideia partiu de uma fábrica de pescado de Peniche e tem como objectivo, também, o aproveitamento de “produtos da subprodução e de partes comestíveis que não têm valor comercial”.

Só existe hambúrguer preparado de atum

Além disso, valorizar e acrescentar valor comercial a algumas espécies pouco consumidas, como a cavala, ou que são comercializadas congeladas, como a tintureira, estão também entre as pretensões dos promotores.

A equipa está a testar a formulação do produto na cozinha com diferentes espécies de pescado e prepara-se para avançar para a criação de dois protótipos que serão fabricados à escala industrial ainda este ano: um hambúrguer de peixe para crianças e outro para adultos.

O produto inovador no mercado nacional, uma vez que (de entre a oferta de produtos preparados) só existe hambúrguer de atum, vai ser produzido pela Nigel, uma fábrica de Peniche. “Queremos ter um produto sem espinhas, saudável e fácil de confeccionar, para incentivar as crianças e jovens a comer peixe”, afirmou Elsa Nicolau, da administração da empresa.

Uma cadeira de distribuição alimentar está interessa na comercialização do produto. A fábrica factura por ano 11 milhões de euros, metade dos quais são oriundos da exportação. A empresa, que se dedica à preparação de peixe para vendê-lo congelado e ao fabrico de refeições pré-cozinhadas de peixe, emprega 102 trabalhadores.