Pinto da Costa considera que nomeação de João Ferreira para o clássico foi "atentado ao futebol"

O presidente do FC Porto considera que os "dragões" só não têm mais pontos na Liga "porque as interferências extrafutebol não o permitem".

"Só sairá alguém se pagarem a cláusula de rescisão”, garante Pinto da Costa
Foto
"Só sairá alguém se pagarem a cláusula de rescisão”, garante Pinto da Costa Paulo Pimenta

O clássico Benfica-FC Porto ainda dá que falar. No editorial da revista Dragões, Pinto da Costa volta a ser muito duro com a nomeação de João Ferreira para o jogo do Estádio da Luz e considera que o campeão nacional deveria liderar o campeonato isolado por esta altura.

"Do clássico da Luz, mais do que os foras-de-jogo mal assinalados e as expulsões perdoadas, que só podem surpreender quem não conhece os protagonistas, o que é um atentado ao futebol e à verdade desportiva foi a nomeação do único árbitro em que havia razões objectivas para deixar de fora", assinala o presidente do FC Porto. 

“Não é internacional, só tinha arbitrado quatro jogos na Liga, foi quarto árbitro no jogo do túnel e foi o árbitro escolhido pelo presidente do Benfica numa escuta em que de muitos nomes só o João ‘pode ser’ Ferreira satisfez”, prosseguiu Pinto da Costa.

Entre recados ao presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol e alfinetadas em Luís Filipe Vieira, o dirigente máximo dos "azuis e brancos" deixa também um recado a Mário Figueiredo, actual presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional.
 
"Contrariando os desejos até da Liga de Clubes, o FC Porto continua a mostrar que é a melhor equipa em Portugal e só não tem mais pontos porque as interferências extrafutebol não o permitem", conclui.