Cinco câmaras do distrito de Setúbal dão compostores aos munícipes

A iniciativa resulta de uma parceria da empresa multimunicipal Amarsul com as câmaras da Moita, Barreiro, Montijo, Seixal e Palmela.

A compostagem transforma resíduos orgânicos vegetais em fertilizanteésticos e, em simultâneo, a produção de fertilizante natural
Foto
A compostagem transforma resíduos orgânicos vegetais em fertilizantes Jorge Silva

“Compostar, outra forma de reciclar” é o nome da iniciativa lançada pela Amarsul – sistema multimunicipal de valorização e tratamento de resíduos sólidos urbanos, que, em parceria com cinco câmaras do distrito de Setúbal, vai distribuir, gratuitamente, compostores aos munícipes que se inscrevam no programa.

A iniciativa abrange os municípios da Moita, Barreiro, Montijo, Seixal e Palmela e tem como objectivo, segundo comunicado da Amarsul, “a redução da produção de resíduos domésticos e, em simultâneo, a produção de fertilizante natural”.

As inscrições estão reservadas a agregados familiares constituídos, no mínimo, por três pessoas, mas também podem participar escolas e outras instituições que reúnam as condições necessárias à prática de compostagem. Quem quiser participar e receber um compostor, tem de residir nos quatro concelhos aderentes e possuir um quintal, jardim ou horta. Outra condição é o candidato comprometer-se a frequentar uma acção de formação sobre compostagem, a realizar em data ainda a definir, na qual será fornecido um guia prático de compostagem e um certificado.

Em comunicado, a Amarsul explica que a compostagem é um processo limpo e vantajoso, visto que “os restos de comida, resíduos de jardim ou de horta – em vez de serem enviados para aterro ou incinerados – podem ser valorizados, produzindo um excelente fertilizante natural”.

As inscrições, que podem ser feitas nas cinco câmaras aderentes, decorrem desde o início de Janeiro e terminam a 28 de Fevereiro.