Emel declara guerra ao estacionamento em segunda fila

Foto
A partir de sexta-feira a Emel vai endurecer a fiscalização JOSÉ FERNANDES

Reforço da fiscalização em 20 das principais ruas da cidade. A partir de sexta-feira, todos os veículos serão autuados ou rebocados.

A Empresa Pública Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa (Emel) reforçou a fiscalização do estacionamento em segunda fila num conjunto de 20 artérias do centro da cidade. Por enquanto, a acção da empresa é apenas "pedagógica", mas, a partir de dia 15 de Fevereiro, os veículos em situação irregular serão autuados ou rebocados.

Esta operação da Emel arrancou no início de Fevereiro e abrange as seguintes artérias: Avenida de Berna, Avenida João XXI, Avenida 5 de Outubro, Avenida António Augusto de Aguiar, Avenida Miguel Bombarda, Avenida João Crisóstomo, Avenida Duque d"Ávila, Avenida Marquês de Tomar, Avenida de Roma, Rua Frei Amador Arrais, Rua Luís Augusto Palmeirim, Avenida da Igreja, Avenida Rio de Janeiro, Praça de Londres, Avenida de Paris, Avenida Almirante Reis, Rua Luciano Cordeiro, Rua Rodrigues Sampaio, Rua Alexandre Herculano e Rua Castilho.

Durante uma primeira fase, que se prolonga até à próxima sexta-feira, "as equipas de fiscalização vão informar e sensibilizar todos os condutores". A explicação é de Diogo Homem, do marketing e comunicação da Emel, que acrescenta que aos automobilistas estão a ser entregues panfletos dando conta de quais as artérias onde já ocorreu um reforço da fiscalização. "Estacionar em segunda fila não tem desculpa" é a mensagem que a empresa está a transmitir através desses panfletos e de anúncios na rádio.

Depois de concluída a chamada "fase pedagógica", a Emel garante que "passará a ser mais rigorosa nas autuações e remoções" dos veículos em situação irregular. Isto porque, explica Diogo Homem, "o estacionamento em segunda fila em algumas das mais importantes artérias da cidade é responsável por uma significativa perda de capacidade de escoamento das principais vias urbanas".

Em 2007, quando concorreu pela primeira vez à presidência da Câmara de Lisboa, António Costa tinha prometido que o combate ao estacionamento ilegal seria uma das dez primeiras medidas que concretizaria. Uma operação de "tolerância zero" para com os veículos parados nos passeios e em segunda fila ainda chegou a ser desencadeada pela Polícia Municipal, mas os resultados foram poucos ou nenhuns.

Mais de cinco anos volvidos, é a Emel quem assume a tarefa, por solicitação da autarquia. As 20 artérias abrangidas pelo incremento de fiscalização, todas elas com estacionamento tarifado, foram seleccionadas pelo "impacto negativo" que o estacionamento em segunda fila nesses locais "tem na normal circulação na cidade", explica Diogo Homem.

O porta-voz da Emel acrescenta que o facto de terem sido escolhidas apenas 20 artérias "não significa que não sejam fiscalizados outros arruamentos da cidade". Isso acontecerá, diz, "se tal for necessário e se a Emel verificar que estão a ser criadas dificuldades à circulação pelo estacionamento em segunda fila".