Federação do PS-Porto diz que saída de Guilherme Pinto “não respeita regras democráticas” do partido

Actual presidente da Câmara de Matosinhos diz que a desfiliação é um “passo decisivo” para uma eventual recandidatura ao cargo, como independente.

Guilherme Pinto e José Luís Carneiro estiveram lado a lado em Agosto num debate sobre a gestão do Aeroporto Sá Carneiro
Foto
Guilherme Pinto e José Luís Carneiro estiveram lado a lado em Agosto num debate sobre a gestão do Aeroporto Sá Carneiro Fernando Veludo (NFactos

O líder da federação do PS-Porto considerou este sábado que a decisão do presidente da Câmara de Matosinhos de sair do PS “não respeita as regras democráticas” do partido e “procura ofender a credibilidade” das bases do “Estado de Direito democrático”.

O presidente da Câmara de Matosinhos, Guilherme Pinto, enviou sexta-feira uma carta ao secretário-geral do PS a pedir a desfiliação do partido, considerando, em declarações à Agência Lusa, que este é um “passo decisivo” para uma eventual recandidatura ao cargo, como independente.

Numa nota enviada à Lusa, o presidente da federação do PS-Porto, José Luís Carneiro, manifestou “discordância pelo modo como se deitaram por terra todos os esforços de concertação entre o partido e o actual autarca”. “Lamentamos uma decisão que não respeita as regras democráticas do Partido Socialista e que procura ofender a credibilidade dos esteios do Estado de Direito democrático”, criticou. José Luís Carneiro garantiu ainda que o “PS continuará a ser, em Matosinhos, o garante de uma história de serviço público à comunidade e a garantia de um futuro comprometido com aqueles que mais precisam do poder público”.

Guilherme Pinto, militante do PS há 37 anos, anunciou que deixou o partido porque considera ser “preciso conseguir manter a dinâmica de desenvolvimento em Matosinhos e evitar um desastre, que são as candidaturas dos partidos” no concelho. O autarca explicou que na sexta-feira deixou de ser militante do PS quando endereçou ao secretário-geral, António José Seguro, uma carta a pedir a “renúncia da condição de militante”.

A concelhia do PS de Matosinhos escolheu o seu líder e presidente da Junta de Freguesia de Matosinhos, António Parada, como candidato socialista à câmara nas próximas autárquicas, depois de Guilherme Pinto ter manifestado, em Novembro, numa entrevista à agência Lusa, disponibilidade para se recandidatar ao cargo, mas recusando disputar eleições directas dentro do partido.
António Parada apresenta a sua candidaturaneste sábado à tarde.