Portugal negro como o basalto

Raul Meireles, Bruno Alves e Pepe foram os modelos escolhidos para apresentar o novo equipamento alternativo da selecção portuguesa para 2013. Em relação ao anterior, só muda a cor.

Raul Meireles, Bruno Alves e Pepe com o novo equipamento alternativo da selecção
Fotogaleria
Raul Meireles, Bruno Alves e Pepe com o novo equipamento alternativo da selecção DR
Fotogaleria
O símbolo da Federação Portuguesa de Futebol em destaque DR
Fotogaleria
O preto passa a ser a cor dominante do equipamento alternativo DR
Fotogaleria
A nova camisola já está à venda DR
Fotogaleria
Um detalhe da nova camisola alternativa da selecção portuguesa DR

A cor negra – do basalto vulcânico, segundo a marca de material desportivo que patrocina a selecção – é a nota dominante e verdadeiramente nova do equipamento alternativo da selecção de Portugal, revelado nesta quarta-feira.

A camisola ostenta a cruz de S. Jorge a cobrir toda a parte da frente, como já sucedia com a anterior, tendo à esquerda, sobre o peito, o símbolo da Federação Portuguesa de Futebol, o único elemento colorido da camisola. Os números, tanto nas costas, como no peito, surgem a branco.

Os calções também são pretos, novamente com o símbolo da FPF colorido, o mesmo sucedendo com as meias. 

O tecido das camisolas, cujo colarinho é redondo (tal como o anterior), é feito com 96% de poliéster reciclado, enquanto os calções são totalmente produzidos naquele material. Para o fabrico de cada equipamento, foram utilizadas, em média, cerca de 13 garrafas de plástico recicladas, refere a Nike.

Ainda segundo aquela marca desportiva, o tecido do novo equipamento é até 23% mais leve e 20% mais resistente que a versão anterior, e a tecnologia Nike Dri-FIT, incorporada nos equipamentos, ajuda a regular a temperatura do corpo, eliminando o suor e mantendo os jogadores secos e frescos durante o jogo.

Para quem quiser vestir de basalto, a colecção está disponível nas lojas desde o dia 1 de Fevereiro.