Quelle Dead Gazelle vencem Festival Termómetro

Com esta vitória, banda vai abrir o Festival Optimus Alive deste ano e será cabeça-de-cartaz do "dia zero" do Paredes de Coura.

O duo instrumental Quelle Dead Gazelle foi o vencedor da edição deste ano do Festival Termómetro, que terminou na noite de sábado, em Lisboa.

Quelle Dead Gazelle é o primeiro grupo unicamente instrumental a vencer este festival, cuja edição deste ano se iniciou no passado dia 11 de Janeiro, e à qual se apresentaram 20 bandas e artistas individuais, que actuaram em diferentes bares, entre Lisboa e o Porto.

O duo é constituído por Miguel Abelaira e Pedro Ferreira e, com esta vitória, irão abrir o Festival Optimus Alive deste ano, serão os cabeça-de-cartaz do "dia zero" do Paredes de Coura, e gravarão quatro temas para um EP com a chancela da Cego Surdo e Mudo, que organiza o Termómetro.

Formados há um ano, em Janeiro de 2012, os Quelle Dead Gazelle tocaram já no Vodafone Mexefest, no Cabaret Maxime, em Lisboa, e integraram o lote de bandas vencedoras do festival de bandas de Paredes de Coura, no Verão passado, actuando no Hard Club, no Porto, e no festival minhoto.

Em segundo lugar ficaram os Flume, um projecto de Joana Barra Vaz, cantautora, produtora e realizadora de cinema, co-fundadora de A Música Portuguesa A Gostar Dela Própria, autora do documentário Meu Caro Amigo Chico, estreado na edição do ano passado do IndieLisboa.

Joana Barra Vaz lançou o seu primeiro disco  F l u m e, Passeio pelo Trilho –, em Junho passado, na Internet. A produção fora iniciada um ano antes, e contou com a participação de Bernardo Barata e José de Castro, na produção e arranjos, de João Gil, nas guitarras, JP Mendes, na voz, Tiago Chef, no contrabaixo, e Rita Oliveira, em fagote.

No ano passado, os vencedores do Festival Termómetro foram os portuenses Crisis.

O Festival Termómetro foi criado em 1994, pelo radialista Fernando Alvim, e distingiu já nomes como Ornatos Violeta, Noiserv, B Fachada, Mazgani, Salto e Richie Campbell.