Perfil de Adolfo Mesquita Nunes

Adolfo Mesquita Nunes foi o nome escolhido pelo Governo para a Secretaria de Estado do Turismo, uma pasta que foi ficando na sombra de outros dossiers mais quentes do Ministério da Economia, como as privatizações, o QREN e as PPP, por exemplo.

O deputado do CDS substitui Cecília Meireles, do mesmo partido. Além disso, têm em comum a formação de base em Direito. Mesquita Nunes foi protagonista na votação pelo direito à adopção por casais de pessoas do mesmo sexo, em Fevereiro de 2012, por ter sido o único deputado do CDS a pronunciar-se favoravelmente.

O feito valeu-lhe um prémio do site de notícias e cultura LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgéneros) dezanove.pt no final do ano passado. O novo secretário de Estado do Turismo, mestre em Ciências Jurídico-Políticas, é membro da Assembleia Municipal de Lisboa e vogal da comissão executiva do CDS.

Foi adjunto da secretária de Estado da Segurança Social do Governo de Durão Barroso, Teresa Caeiro, e chefe de gabinete do ministro do Ambiente e do Ordenamento do Território de Santana Lopes, Luís Nobre Guedes. Actualmente, pertence à Comissão para a Ética, a Cidadania e a Comunicação e coordena a Comissão Eventual para Acompanhamento das Medidas do Programa de Assistência Financeira a Portugal. Mesquita Nunes foi um dos deputados que integraram a equipa da maioria PSD/CDS na negociação de alterações ao Orçamento do Estado (OE) para 2013.

Em Novembro, causou polémica quando afirmou à Lusa que “a essencial superação do modelo socialista exigia um outro OE: um OE que reflectisse uma consolidação orçamental pelo lado da despesa, que espelhasse alterações substanciais no modelo de Estado e reduções significativas da despesa estrutural”. O novo secretário de Estado chega à Horta Seca com o novo Plano Estratégico Nacional do Turismo em fase de consulta pública.