Monumentos, palácios e museus tiveram 3,1 milhões de visitantes e menos 13% de receitas em 2012

Os monumentos, museus e palácios nacionais receberam 3,1 milhões de visitantes, em 2012, representando uma quebra de dois por cento em relação a 2011, e menos um milhão de euros de receita, segundo as estatísticas oficiais.

Foto
O Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, foi o monumento mais visitado Pedro Cunha/Arquivo

De acordo com dados estatísticos da Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC), a que a agência Lusa teve acesso esta quarta-feira, o número total de visitantes deste universo foi de 3.241.090, em 2011, e de 3.175.585, em 2012, com uma diminuição de 65.505 entradas, o que corresponde a um decréscimo de cerca de 2%.

A este decréscimo, em 2012, junta-se uma quebra de receitas de 12,9%, o que significa cerca de menos um milhão de euros, segundo a DGPC.

No conjunto destes espaços culturais, os mais visitados estão em Lisboa: o Mosteiro dos Jerónimos, com 694.156 visitantes, seguido da Torre de Belém, com 520.061, e, em terceiro lugar, surge o Mosteiro da Batalha, com 271.912 entradas.

A lista integra o Palácio Nacional de Mafra, como o palácio mais visitado – 235.670 entradas – e, no conjunto de museus, o Museu Nacional dos Coches lidera, com 184.105 entradas, em 2012.

Segundo a DGPC, “a diminuição do número de entradas em monumentos, museus e palácios ficou a dever-se à diminuição do público nacional – menos 6,5% do que em 2011”, com um ligeiro aumento no público estrangeiro, na ordem dos 0,3% (mais 6797 entradas). Ainda segundo a mesma fonte, os monumentos geridos pela DGPC registaram 1.914.774 entradas, os museus 975.076, e os palácios 285.735 entradas.

A descida nas entradas, segundo a direcção-geral, verificou-se nos monumentos e palácios, que decresceram 3,1% e 5,8%, respectivamente. Nos museus, deu-se uma subida de 1,5% (mais 14.282 visitantes). Para esta subida nos museus nacionais, segundo a DGPC, contribuíram as iniciativas realizadas nestes espaços, com destaque para as exposições e as actividades organizadas por ocasião da Noite dos Museus e do Dia Internacional dos Museus, a 17 e 18 de Maio.

Ainda segundo os dados da DGPC, a receita das entradas em monumentos, palácios e museus atingiu 7.134.372,30 euros, em 2012, representando uma diminuição de 12,9% (menos 1.055.672,05 euros do que em 2011).

O público com entrada paga nestas instituições – que já era dominante em 2011 – continua a ser a parcela mais importante no valor global de visitantes em 2012, tendo, porém, diminuído 25.555 (-1,5%).

No tratamento estatístico, a DGPC decidiu não incluir os visitantes do Palácio Nacional de Queluz e do Palácio Nacional de Sintra, por terem passado, em Setembro de 2012, para a gestão da Sociedade Parques de Sintra – Monte da Lua. Nessa linha, para “manter a coerência do universo em análise, estes dois palácios também não foram considerados para [as comparações com] os anos anteriores”.