Hillary Clinton deixa porta aberta a candidatura à presidência em 2016

Presidente Obama faz rasgados elogios à sua secretária de Estado. Clinton é ambígua em relação às suas intenções.

Foto

A secretária de Estado norte-americana cessante, Hillary Clinton, deixou a porta aberta a uma eventual candidatura às presidenciais de 2016 numa inédita entrevista conjunta com o Presidente Obama ao programa 60 Minutes da CBS.

“Ainda sou secretária de Estado”, disse Clinton no programa que foi para o ar no domingo à noite, recusando-se a responder a perguntas sobre as presidenciais. Mas, disse, “o Presidente e eu, nós preocupamo-nos muitíssimo com o futuro do nosso país e eu penso que, nem ele nem eu, possamos fazer previsões sobre o que se vai passar amanhã ou daqui a um ano.”

Nesta entrevista a duas vozes, gravada na Casa Branca, o Presidente Obama aproveitou para cobrir de elogios aquela que foi a sua duríssima rival nas primárias democratas de 2008.

“Queria aproveitar esta oportunidade de lhe agradecer publicamente porque acredito que Hillary vai ficar apara a história como uma das melhores secretárias de Estado que já tivemos”, disse o Presidente dos EUA. “Tivemos uma óptima colaboração nestes quatro anos, e euvou sentir a sua falta”.

Hillary Clinton, 65 anos, não deu indicações claras sobre as suas futuras intenções. Daqui a dias vau ser substituída por John Kerry, o homem escolhido por Obama para liderar a diplomacia americana nos próximos quatro anos. 

Se em Washington ninguém tem dúvidas que Clinton vai avançar com uma candidatura à Casa Branca (onde já passou oito anos ao lado do seu marido Bill Clinton, Presidente entre 1993 e 2001), a própria repete que quer “regressar à vida privada”.

De rivais políticos a aliados estratégicos, Obama e os Clinton construíram uma relação que deu frutos para os dois lados. Bill Clinton deu um auxílio precioso Obama na campanha para a reeleição. E Hillary deixa o departamento de Estado com níveis de popularidade invejáveis.

“Considero Hillary como uma amiga sólida”, respondeu Obama para definir a sua relação com Clinton. Sobre as presidenciais de 2016 o Presidente preferiu responder assim: “Vocês jornalistas são incorrigíveis: tomei posse há quatro dias e vocês querem que eu fale das eleições daqui a quatro anos…”.