General Allen ilibado de comportamento impróprio no caso Petraeus

Investigação do Pentágono conclui que que comandante dos EUA no Afeganistão não teve comportamento impróprio ao trocar e-mails com uma “socialite” de Tampa que fez a queixa que levou à descoberta da amante do general Petraeus.

Foto
John Allen substituiu Petraeus no comando das forças americanas no Afeganistão Mohammad Ismail/REUTERS

Kelley queixou-se de estar a ser perseguida por alguém que se revelou vir a ser a amante de Petraeus, pondo assim em movimento as peças que levaram à demissão do então director da CIA, em Novembro.

Allen é o comandante das forças internacionais no Afeganistão – substituiu neste cargo Petraeus, e ambos estiveram no Comando Central dos Estados Unidos, que fica localizado em Tampa, na base aérea MacDill. Kelley tem muitos contactos com esta base e convida muitas das altas chefias para as suas festas – aí nasceu a relação social com os dois generais.

A familiariedade de Kelley com Petraeus terá sido demasiado para a biógrafa e amante do general, Paula Broadwell, aguentar. Enviou-lhe cartas anónimas e e-mails de tom ameaçador. Kelley queixou-se a um amigo que é agente do FBI e desencadeou uma investigação.

O seu computador pessoal foi apreendido e assim foram descobertos os e-mails trocados com outro general, John Allen, que aos olhos dos investigadores pareceram de um tom “inapropriado”: “namoradeira” será a palavra mais cortês para descrever o que foi sugerido para classificar a relação epistolar entre o comandante das tropas norte-americanas no Afeganistão e a organizadora de festas de Tampa.

O secretário da Defesa, Leon Panetta, ordenou um inquérito para averiguar se teria havido mau comportamento por parte de Allen – que sempre negou ter um caso com Jill Kelley. Agora, o inspector-geral do Pentágono ilibou-o.

O caminho fica assim livre para a próxima comissão de serviço de Allen, que foi indicado para comandante supremo das forças aliadas na Europa. A sua nomeação para o Afeganistão termina no mês que vem, e o Pentágono não pediu ao Comité das Forças Armadas do Senado que alterasse o calendário.