Duas explicações possíveis para o acidente de Alfarelos

As causas do acidentes estão por explicar
Foto
As causas do acidentes estão por explicar Sérgio Azenha

Teoricamente o choque de dois comboios na linha do Norte é impossível, pois o sistema Convel (Controlo de Velocidade) que equipa todos os comboios que nela circulam impede que os sinais sejam desrespeitados, sobrepondo-se a uma eventual distracção do maquinista.

Neste acidente, circulando o comboio regional a mais baixa velocidade e com paragem em todas as estações, a aproximação pela cauda do Intercidades (mais rápido) só seria feita até uma determinada distância de segurança.

Sinais de restrição obrigam o maquinista a reduzir a velocidade por forma a manter essa distância do comboio que o precede até que este chegue ao seu destino ou que o possa ultrapassar em alguma estação.

E ainda que o maquinista, hipoteticamente, se distraísse, adormecesse, ou adoecesse, e não respeitasse os sinais, o Convel (que no fundo é um computador de bordo) faria actuar de imediato o freio de emergência até o comboio ficar imobilizado.

O que falhou então?

O PÚBLICO pode adiantar duas explicações plausíveis, embora, naturalmente, esteja ainda por decorrer o inquérito preliminar que poderá dar algumas pistas sobre o ocorrido.

Uma poderá ter sido uma avaria nos freios (travões) do Intercidades, associada à falta de aderência dos carris que se encontram húmidos por causa da chuva. A entrada da estação de Alfarelos no local do embate é feita em descida.

Outra hipótese poderá ter sido avaria no sistema de sinalização naquele troço de via, que já durante o fim-de-semana – e na sequência da intempérie que perturbou alguns circuitos de via –, esteve com alguns problemas, ao ponto de o tráfego ferroviário se ter processado com restrições.

Neste caso o Convel (que está instalado a bordo dos comboios) poderá não ter recebido a informação que deveria ter sido enviada dos equipamentos instalados na linha.

Acresce que este troço da linha do Norte, entre Pombal e Coimbra, ainda não foi modernizado. Na estação de Alfarelos, a mesa de comando que controla a sinalização data dos anos 60 do século passado.