Crónica de jogo

Benfica faz o suficiente para terminar a primeira volta em primeiro

Equipa de Jorge Jesus só precisou dos serviços mínimos para se impor a um Moreirense debilitado, que era último e mais último ficou após derrota com o primeiro da classificação.

Sálvio e Lima marcaram os golos do Benfica
Foto
Sálvio e Lima marcaram os golos do Benfica AFP

Foi um Benfica muito aquém da sua melhor versão o que se apresentou nesta segunda-feira à noite em Moreira de Cónegos. Só que, mesmo sem realizar um grande jogo, a equipa de Jorge Jesus fez o suficiente para bater o Moreirense e terminar a primeira volta do campeonato em primeiro lugar e sem sofrer qualquer derrota.

Os golos benfiquistas surgiram na segunda parte, por intermédio de dois jogadores que mesmo sem terem feito grandes exibições acabaram por sobressair no meio da mediania geral da sua equipa. Logo a seguir ao reatamento (48’), Salvio começou a desenhar o triunfo benfiquista, com um golo que nasce de um desentendimento no meio-campo contrário. O número 18 encarnado foi mais rápido que os adversários e rematou cruzado para o primeiro golo.

Cinco minutos depois, Salvio podia ter bisado, mas Pintassilgo evitou o golo em cima da linha de baliza. A partir de então o Benfica pouco mais fez no encontro em termos ofensivos e o jogo foi perdendo interesse, passando a ser jogado, sobretudo, no meio-campo.

Ao minuto 70 uma interrupção na luta no meio-campo levou a bola até Lima, que não desperdiçou a oportunidade, picando a bola por cima de Ricardo Andrade.

A melhor fase do Benfica aconteceu depois do segundo golo. Face a um Moreirense debilitado — entre castigos e lesões, Jorge Casquilha não pôde contar com metade da equipa habitualmente titular e apenas dispunha de 16 opções para a partida —, mas que nunca deixou de procurar o golo, os “encarnados” apostaram na velocidade para tentar aumentar ainda mais a vantagem, mas o resultado não voltou a alterar-se.

Se o jogo se resolveu na segunda parte, a primeira metade tinha sido mais interessante em termos futebolísticos. Desde logo porque houve mais Moreirense — no segundo tempo, Artur foi praticamente um espectador — mas, sobretudo, porque havia mais frescura física de um e outro conjuntos.

A partida começou, de resto, a um ritmo frenético. Logo aos 20 segundos, Ghilas fugiu nas costas de Jardel e rematou ao poste da baliza de Artur. Respondeu o Benfica no minuto seguinte, com um remate de Lima à figura de Ricardo Andrade.

Depois dos primeiros minutos mais divididos, o Benfica controlou o jogo, guardando a bola e jogando num ritmo baixo. Quando acelerava, a equipa de Jorge Jesus chegava à baliza adversária com perigo. Lima (16’) teve uma boa ocasião, recebendo um passe que o deixou em boa posição, mas não foi suficientemente rápido para bater a defesa contrária. Depois, as armas habituais do Benfica foram sendo usadas sem grande sucesso: Cardozo (20’) atirou uma bomba da entrada da área, mas Ricardo, a dois tempos, defendeu e Luisão (33’), na sequência de um lançamento de linha lateral, cabeceou ao lado.

O nulo havia de desfazer-se na segunda metade e, com o triunfo desta segunda-feira, o Benfica termina a primeira volta da Liga no topo da classificação, beneficiando do jogo em atraso que o FC Porto ainda tem. Já o Moreirense tem a vida cada vez mais complicada e terá que fazer bem melhor do que os oito pontos da primeira volta para conseguir evitar a despromoção.
 
 

Sugerir correcção