Guia para a Lisboa “sem reservas” de Bourdain

Anthony Bourdain visitou Lisboa há pouco mais de um ano para o seu "No Reservations" (Não Aceitamos Reservas). Revisitamos as mesas que fizeram as delícias do visitante. O episódio lisboeta estreou-se na SIC Radical a 14 de Janeiro

Cervejaria Ramiro, rei do marisco e do prego

Há mais de meio século a manter a tradição da arte da cervejaria portuguesa, a antiga "casa de pasto" Ramiro é um reino do marisco e dos petiscos, incluindo os afamados "pregos". A ementa da cervejaria prossegue com a garantia da frescura e de encantar muitos fiéis, entre ostras, amêijoas, percebes, navalheiras, lavagantes, lagostas, lagostins... Aqui, Bourdain deliciou-se entre imperiais, elogiados camarões e lagostins ou pregos (a que chamam "a sobremesa").

Sol e Pesca, o bar das conservas

De uma velha casa de artigos para a pesca, nasceu um bar, já de culto, que tem a sua força nos petiscos baseados nas conservas portuguesas (e também na decoração piscatória vintage). É no Sol e Pesca, em cenário Cais do Sodré, que Bourdain faz amizade com os Dead Combo.

A Tasca do Chico

A casa que fez o fado vadio voltar em grande ao Bairro Alto - e que se tornou de visita obrigatória para muitos turistas -, mereceu a visita de Bourdain em muito interessantes companhias, António Lobo Antunes e Carminho. Na Tasca do Chico, pode ouvir-se fado vadio em noites especiais e não faltam o caldo verde e o chouriço assado.

A Ginjinha

Para a ginjinha da praxe, segue-se para um dos balcões clássicos da cidade, A Ginjinha do Largo de S. Domingos, dita Espinheira, já que nasceu propriedade de um galego com este apelido - foi mesmo o primeiro estabelecimento de Lisboa a comercializar a bebida. Isto em 1840.

Largo de São Domingos, 8

O Cantinho de Avillez

À altura da visita do apresentador de "No Reservations", José Avillez tinha restaurante recente para mostrar, o Cantinho do Avillez. Avillez apresenta uma sala sóbria com apontamentos vintage que oferece uma cozinha "simples, mas sofisticada", "maioritariamente de inspiração portuguesa" mas com "influências de algumas viagens". Na carta, também petiscos ou pregos. Bourdain rendeu-se aos pezinhos de porco e peixinhos da horta.

  

Alma de Sá Pessoa

Henrique Sá Pessoa continua, desde 2009, a dar Alma ao seu restaurante, uma cozinha contemporânea, alicerçada em produtos de mercado. O chefe de "Ingrediente Secreto", programa de sucesso da RTP, propõe uma ementa que passa por reinventar a gastronomia portuguesa. Na ementa de Bourdain, a cavala, o bacalhau e o leitão.

100 Maneiras

Ljubomir Stanisic, chefe de origem jugoslava com anos de experiência em Portugal, reinventou o seu 100 Maneiras com uma cozinha do mundo, repleta de inspirações "portuguesas, francesas, jugoslavas e do resto do mundo". Em espaço art déco, a carta, além do resto, guarda lugar "para corajosos" onde constam "molejas, caviar, maranhos e demais entranhas e extremidades". Bourdain deliciou-se com o cabrito com arroz de miúdos e no programa surgem também o guisado de coração de cavalo, fígado de touro ou a mioleira de porco.

O Trevo

Um tradicional café da praça Luís de Camões foi o local escolhido por Bourdain para provar outra incontornável delícia gastronómica lusa: a rainha bifana. Regada a mostarda e acompanhada por uma imperial gelada. «Awesome», declarou o senhor No Reservations. Mas isso foi antes de dar uma trincadela na bifana e elevar o elogio ("that's fucking good!").