PSP muito criticada nas redes sociais por recorrer a gás pimenta

O Facebook serviu de caixa de ressonância ao descontentamento provocado pelo uso de gás pimenta contra menores. A PSP diz ter evitado "intervenção mais 'musculada'".

PSP diz que uso de gás pimenta evitou "intervenção com bastões de ordem pública"
Foto
PSP diz que uso de gás pimenta evitou "intervenção com bastões de ordem pública" Daniel Rocha

Quando na manhã desta sexta-feira se ficou a saber que agentes da PSP tinham usado gás pimenta numa manifestação de estudantes do ensino secundário, em Braga, não era difícil adivinhar que assunto ocuparia o dia nas redes sociais. A PSP percebeu-o e foi ágil, antecipando-se no Facebook com uma nota justificativa, que primeiro recebeu elogios, mas que rapidamente passou a ser alvo de duras críticas.

A notícia foi avançada às 9h52 desta sexta-feira pela Lusa. Às 11h38, ainda a informação não tinha sido tratada por alguns dos principais órgãos de comunicação, a PSP reagia no Facebook, dizendo que um dos agentes tinha recorrido a gás pimenta para afastar alunos que estariam a tentar impedir o acesso ao portão da escola, fechada a cadeado pelos manifestantes.

Os primeiros utilizadores a comentar foram os que já seguiam a página da PSP no Facebook e mostraram-se solidários com a acção da Polícia. “Se houve ali alguma coisa que faltou, foi bastão e não calma! São jovens, mas têm de começar a aprender que nesta sociedade, por mais democrata que seja, existem leis! Haja quem as faça cumprir”, escreveu Hugo Ribeiro.

Os “bastões” de que este utilizador fala estão no comunicado da PSP, que defende que o uso de gás pimenta serviu “para evitar a necessidade de intervenção com bastões de ordem pública” e que “a intervenção foi feita na medida e proporção a evitar uma intervenção mais ‘musculada’”. Estas afirmações foram das que mais indignaram quem, depois de a nota ter sido muito partilhada no Facebook, chegou mais tarde para comentar.

“Mais musculada? Referem-se a quê concretamente? Pancada com bastões nos alunos, crianças e jovens? Outro tipo de gás mais agressivo? Parece-me é que na PSP alguns já perderam a noção do que é uma polícia civilizada e democrática que sabe agir com sabedoria”, critica Carlos Veloso da Veiga. Pedro Félix concorda: “Confesso a minha total estupefacção perante tão desnorteada reacção. São praticamente crianças.”

As críticas são às dezenas só naquela nota e incluem quem habitualmente apoia a PSP em situações idênticas: “Desta vez erraram vergonhosamente. Há que apurar responsabilidades, porque é um erro muito grave. Eu e muitos que costumam estar do vosso lado condenamos gravemente este resultado, que em nada contribui para uma imagem digna da PSP”, lamenta José Manuel Rosa. “A PSP é o espelho do Governo... acham que eles estão sempre certos e que qualquer medida é justificada para atingir o fim...”, acrescenta João Pedro.

No Twitter, as reacções também não se fizeram esperar (ver caixa abaixo). No YouTube, os alunos da Escola Secundária Alberto Sampaio, que protestavam contra a agregação do estabelecimento de ensino no mega-agrupamento de Nogueira, estão a publicar vídeos amadores, gravados pelos próprios, com imagens dos incidentes desta manhã.