Cada um à sua maneira, Despres e Peterhansel aceleram para a história

Paulo Gonçalves foi terceiro na 13.ª etapa, Ruben Faria ocupa agora a mesma posição na geral. Carlos Sousa mostra regularidade.

Foto
Franck Fife/AFP

A quinta vitória de Cyril Despres no Dakar nunca esteve tão perto. O piloto francês da KTM, ajudado por Ruben Faria, entra no sábado para a última etapa da mítica prova de todo-o-terreno na liderança da geral, com mais de 8 minutos de vantagem sobre o perseguidor mais directo, Francisco López, que venceu a etapa de esta sexta-feira, entre Copiapo e La Serena.

O sucesso de Despres será também, em certa medida, o sucesso de Ruben Faria, que nunca escondeu que o seu principal objectivo era conduzir o colega de equipa ao triunfo. Esta sexta-feira, o português foi apenas 15.º e acabou por ser ultrapassado no segundo lugar da geral. Nada de dramático, segundo o próprio: “Não esperava uma etapa tão rápida. Cometemos um erro aos 191km e atrasámo-nos. O Chaleco [López] estava muito forte e achei que não valia a pena arriscar e correr o risco de cair para ir atrás do segundo lugar”, esclareceu, citado pelo site oficial da competição.

Mesmo assim, Portugal não ficou sem representantes no top 3 da penúltima tirada da versão sul-americana do Dakar 2013. Isto porque Paulo Gonçalves andou sempre próximo de López e fechou o dia no terceiro posto. “Foi uma etapa muito boa, tal como esta segunda semana. Sem os problemas que tive na 5.ª etapa, poderia estar a discutir o pódio”, assume o piloto da Husqvarna.

Definitivamente fora do pódio está o piloto português que mais aspirações tinha ao triunfo, Hélder Rodrigues (Honda). Sexto na etapa e sétimo na geral, está a mais de uma hora de distância de Ruben Faria.

Peterhansel tranquilo

Para Stéphane Peterhansel (Mini), a cautela tem sido a palavra de ordem nos últimos dias. O seu 11.º triunfo no Dakar, entre motos e automóveis, está demasiado perto para ser posto em causa por uma manobra mais arriscada. Nesta etapa, terminou em nono e, mesmo assim, mantém uma folga de mais de 44 minutos em relação a Giniel de Villiers (Toyota).

“Amanhã [sábado] será mais simples, porque serão menos quilómetros, mas vamos continuar com tranquilidade. Enquanto não cruzarmos a linha de meta, tudo pode acontecer”, avisa o líder Peterhansel, cinco posições acima de Carlos Sousa, o português da Great Wall que voltou a mostrar grande consistência, com um sétimo lugar na etapa.

Classificações
13.ª Etapa (Copiapo-La Serena, 441km)

Automóveis
1. Robby Gordon (Hummer) 3h40m53s
2. Guerlain Chicherit (SMG) a 22s
3. Orlando Terranova (BMW) a 4m41s
(...)
7. Carlos Sousa (Great Wall)a 12m45s
Geral
1. Stéphane Peterhansel (Mini) 36h44m46s
2. Giniel De Villiers (Toyota) a 44m38s
3. Leonid Novistkiy (Mini) a 1h29m31s
(...)
6. Carlos Sousa (Great Wall) a 2h38m40s

Motos
1. Francisco Lopez (KTM)3h44m54s
2. Cyril Despres (KTM)a 5m25s
3. Paulo Gonçalves (Husqvarna) 5m29s
(...)
6. Hélder Rodrigues (Honda) a 9m37s
15. Ruben Faria (KTM) a 14m27s
35. Mário Patrão (Suzuki) 39m49s
45. Bianchi Prata (Husqvarna) 57m01s

Geral
1. Cyril Despres (KTM) 41h37m18s
2. Francisco Lopez (KTM) a 8m15s
3. Ruben Faria (KTM) a 14m41s
(...)
7. Hélder Rodrigues (Honda) a 1h14m56s
10. Paulo Gonçalves (Husqvarna) 1h29m46s
32. Mário Patrão (Suzuki) 6h04m39s
61. Bianchi Prata (Husqvarna) 10h45m59s