Morreu o investigador Stephen Reckert, 89 anos, especialista em literatura portuguesa

O catedrático de Literatura Stephen Reckert, 89 anos, faleceu quinta-feira, em Lisboa, informou esta sexta-feira o Centro de Estudos de Teatro da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

O corpo do investigador está a ser velado na Basílica da Estrela, em Lisboa, onde se realiza no sábado, às 13h30, uma homenagem, seguindo-se o funeral, às 14h, para o Cemitério dos Olivais, onde se realizará a cerimónia de cremação às 15h, segundo a mesma fonte.

Reckert foi um investigador da literatura portuguesa e espanhola, tendo dedicado especial atenção ao período medieval e a autores como os portugueses Gil Vicente e Cesário Verde. Em 1980, participou na criação do Gabinete de Estudos de Simbologia da Universidade Nova de Lisboa.<_o3a_p>

Stephen Reckert foi recentemente homenageado pela Academia das Ciências, através do lançamento do livro Por s’entender bem a letra -- Homenagem a Stephen Reckert, publicado pela Imprensa Nacional - Casa da Moeda.<_o3a_p>

Natural do Estado norte-americano de Indiana, Stephen Reckert estudou na Universidade de Yale e na de Cambridge, e pós-graduou-se no Trinity College.<_o3a_p>

Durante a II Guerra Mundial (1939-45), residiu no Reino Unido e foi tradutor de japonês da Royal Air Force.<_o3a_p>

De 1958 a 1966, ocupou a Cátedra do departamento de Espanhol da Universidade do País de Gales, em Cardiff.<_o3a_p>

Segundo o Centro de Estudos de Teatro da Universidade de Lisboa, é um “grande vulto dos estudos Vicentinos e da literatura medieval portuguesa”, tendo sido convidado, em 1967, pela Universidade de Londres, para a Cátedra Camões, onde permaneceu até à sua jubilação em 1982, e da qual era professor emérito.<_o3a_p>

Reckert “criou uma bolsa de estudos, um prémio e uma conferência anuais em memória da primeira mulher, foi professor visitante nas Universidades de Madrid, Nova de Lisboa, Coimbra, Évora, Porto, Madrid, Sevilha, Roma, Cracóvia e Varsóvia”, segundo a mesma fonte.<_o3a_p>

Da sua autoria são, entre outros títulos, Um ramalhete para Cesário, obra que reúne quatro ensaios sobre o poeta Cesário Verde, editado pela Assírio & Alvim, e O essencial sobre Gil Vicente, editado pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda, assim como Gil Vicente: espíritu y letra. Estúdios, da espanhola Credos. Em parceria com Helder Macedo, escreveu Do cancioneiro de amigo, que a portuguesa Assírio & Alvim editou em 1996.<_o3a_p>