Makukula regressa a Portugal para seguir as pisadas do pai em Setúbal

O antigo jogador do Marítimo e do Benfica, há alguns anos na Turquia, vai jogar no Bonfim esta temporada. "Sinto-me em casa", desabafou.

Makukula já representou a selecção nacional
Foto
Makukula já representou a selecção nacional Pedro Cunha

O futebolista internacional português Ariza Makukula, de 31 anos, foi esta quinta-feira oficialmente apresentado como único reforço do Vitória de Setúbal no mês de Janeiro. O avançado terá a responsabilidade de substituir o camaronês Meyong, transferido para Angola.

O antigo jogador do Benfica, que foi para a Turquia em 2009 e que este ano representava o Karsiyaka, assinou contrato com o clube da I Liga portuguesa por um ano e meio.

“Quero agradecer pessoalmente ao presidente do Vitória de Setúbal. Na altura, contratou o meu pai e o meu pai foi muito bem tratado em Setúbal. E eu, sendo um bebé, fiquei a ser também do Vitória de Setúbal. Sinto-me em casa”, disse Makukula, lembrando que foi em Setúbal que começou a jogar futebol.

Makukula agradeceu também a presença de dezenas de sócios na apresentação e prometeu ser “sério, lutador e trabalhador”, convicto de que será capaz de lhes retribuir o gesto com os golos que promete marcar ao serviço do clube do Bonfim.

Antes, o presidente do Vitória de Setúbal, Fernando Oliveira, também lembrou que já tinha contratado o pai do novo reforço sadino e afirmou que “o bom filho à casa torna”, exibindo uma fotografia que disse ter-lhe sido oferecida pela mãe do jogador ainda antes de saber que ele vinha jogar no Vitória de Setúbal.

“Quando tive conhecimento de que o Makukula ia fazer a rescisão – ainda não estava concluída –, aguçou-me o apetite a sua contratação, por todas as razões. Primeiro, pela afinidade que sentia com o pai. Depois, porque o Makukula é um jogador português, é um jogador de selecção e, nos confins onde estava, dificilmente o seleccionador poderia olhar para ele”, assinalou.

O presidente do Vitória de Setúbal mostrou-se convicto de que Makukula será capaz de substituir o camaronês Meyong, que vai representar um clube angolano.

“Sai um jogador grande para entrar um grande jogador. Não poderia contratar um jogador que não tivesse as mesmas características, com o mesmo valor”, frisou o dirigente, assegurando que “as contratações terminaram”, porque “o Vitória de Setúbal não tem capacidade para ir mais além”.